1° fase da obra do hospital de Guararema deve ser entregue amanhã (19)

Evento será realizado no dia do aniversário de Guararema; 2ª fase é incerta

 

Por Giovanna Figueiredo / Fotos: Bruno Arib

 

Guararema, a cidade que surgiu de um povoado que foi se juntando ao redor do rio Paraíba do Sul, celebra amanhã (19) os 119 anos de emancipação. Para comemorar a data, a prefeitura vai entregar a obra considerada pelo prefeito Adriano Leite (PR) como “um presente para a guararemense”: a primeira fase da construção de hospital público no Morro Branco.

Neste primeiro momento foi realizado o serviço de terraplanagem e retalúdamento, para que o hospital possa ser construído. A segunda fase da obra, que consiste na construção do prédio do hospital, ainda não foi anunciada.

A GAZETA esteve em Guararema e conversou com a população a respeito da expectativa para obra. Para os entrevistados, o equipamento será de grande utilidade e beneficiará toda população.

“O problema da saúde é a demora. Com o hospital, deve melhorar”
Maria Nilza

A moradora do bairro Itaoca Maria José Cândido, de 58 anos, ressaltou a importância do hospital. “É bom, vai ficar bem melhor, eu vi na internet que eles vão fazer, e isso vai ajudar muito a cidade”, comentou. “Agora só precisa fazer uma escada rolante para a gente subir”, falou Maria em tom descontraído.

“O problema da saúde daqui é a demora. A gente leva dois meses para conseguir uma consulta, três meses para fazer um exame, é muito demorado. Acredito que com o hospital o atendimento vai melhorar, vai ser bom para a cidade”, desabafou a moradora do Itapema Maria Nilza Batista.

“Eu não tenho do que reclamar sobre a saúde”
Liciio Belerrini

Já para o pintor Licinio Belerrini (55), nascido e criado no município, a saúde da cidade é boa. “Eu não tenho do que reclamar sobre a saúde de Guararema, é muito boa. Mas acho que esse hospital vai melhorar bastante. Com essas benfeitorias a tendência é a cidade ficar ainda melhor.”

 

O QUE DIZ A PREFEITURA – A GAZETA procurou a prefeitura para questionar a respeito dos investimentos e prazos para entrega das obras, mas até o fechamento da edição não houve retorno.