Advogados que acusaram Neymar dão detalhes do suposto caso de estupro

Recuados: Segundo advogados que representavam a vítima, ela disse uma coisa aos seus representantes e outra em Boletim de Ocorrência; termo estupro foi tratado apenas uma vez

Por Gabriel Dias / Foto: Divulgação

A novela Neymar contra as acusações de estupro supostamente cometido por ele em Paris ganha novos capítulos. Depois dos advogados da suposta vítima de estupro terem desistido de representá-la perante a Justiça, o escritório Fernandes e Abreu emitiu uma Carta Aberta (segue o documento abaixo) explicando os motivos pela desistência.

De acordo com os advogados, a denunciante teria ficado emocionalmente abalada quando tentou realizar junto com a equipe jurídica do jogador um acordo, no entanto, isso não aconteceu.

O documento dizia que o escritório – que até semana passada representava a denunciante -, acredita nas palavras da vítima, no entanto, não deu detalhes das alegações de sua ex-cliente, se esquivando do que realmente pode ter acontecido.

Já o termo estupro só foi tratado uma vez em troca de mensagens entre a denunciante e o ex-advogado da vítima, por outro lado, o escritório de advocacia disse que “vai depender da Justiça qual crime que vai ser lavrado em sua natureza, seja agressão, estupro ou até mesmo os dois”.

Outro fato também relatado pela vítima foi o momento da relação sexual, que segundo a denunciante, foi consensual, porém, em determinado momento, Neymar teria se tornado agressivo.

Os advogados disseram que a materialidade das agressões precisava ser confirmada, portanto, orientaram sua ex-cliente a submeter-se a um exame médico particular. “Com esse laudo e outras provas, nosso escritório tinha convicção das agressões sofridas pela nossa ex-cliente e que deveria buscar a concretização de um acordo extrajudicial”, explica o escritório Fernandes e Abreu.

REUNIÃO COM PAI DE NEYMAR – Os advogados ainda ressaltam que o pai de Neymar estava ciente do ocorrido. Por este motivo convidou os antigos advogados da vítima (Escritório Fernandes e Abreu) para uma reunião em sua residência para falar do acordo.

O jogador foi representado por dois advogados e um assessor, já o advogado da denunciante começou a expor os fatos, até que foram imediatamente “menosprezados pelos representantes do jogador, os quais encerraram a reunião dizendo que não haveria acordo”.

“Nesse ponto se ressalta o absurdo de uma reunião entre advogados ser referida, de maneira torpe, como tentativa de extorsão, ainda mais quando essa reunião só se realizou dado o convite feito pelos representantes de Neymar Júnior. Isso só demonstra que os representantes de Neymar Júnior, sabendo dos fatos, orquestraram uma armadilha com o objetivo de criar um álibi para o seu protegido, em prejuízo da vítima e de seus antigos patronos”, diz trechos da Carta Aberta.

Os advogados do Escritório Fernandes e Abreu encerram a Carta Aberta dizendo que apesar de estarem fora do caso, se solidarizam com a dignidade de sua ex-cliente, repugnando todas as manifestações preconceituosas a ela dirigidas, bem como todas as tentativas de diminuir sua pessoa. “Somos todos humanos e nada justifica a investida de pessoas que tentam tirar a dignidade de outras seja por qual motivo for. Não compactuamos com o linchamento público de uma mulher que tem direito a exercer sua pretensão de justiça, como qualquer um de nós”, encerra.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*