‘Além de ajustar a casa, meu maior feito até aqui foi combater as enchentes’

No aniversário de 70 anos de emancipação político-administrativa de Poá, o prefeito Gian Lopes (PR) avalia que deu passo fundamental para resolver um problema que talvez tenha começado antes mesmo do então distrito pertencente a Mogi das Cruzes se tornar cidade: as enchentes. Dois anos depois de assumir o mandato, o republicano comemora o andamento das obras do piscinão, na área central – o que tem evitado alagamentos -, e agora anuncia uma série de ações que visam combater outro problema que tem incomodado a população: a insegurança. Confira:

  

Por Lailson Nascimento / Foto: Flávio Aquino – Divulgação

 

Prefeito, dentre as prioridades de seu plano de governo, o que já foi possível concluir?

Gian Lopes: Nós estamos muito satisfeitos. Conseguimos ajustar a casa e agora as coisas estão andando. [Dentre o que é possível destacar] publicamos a licitação da nova alça do viaduto [Ayrton Senna, na região central], o que deve melhorar muito até os investimentos no município, atrair empresas e, é claro, melhorar a logística de um modo geral. Estamos trabalhando muito também para concluir reformas das escolas e das creches municipais. Acabou de acontecer a contratação de empresa para dar curso para os futuros guardas municipais, que são 88 agentes. Eles vão atuar diretamente no combate ao crime, além do convênio com a Atividade Delegada, pela qual teremos mais 25 policiais militares todos os dias nas ruas. Também estamos aumentando a quantidade de viaturas no município, nós vamos ter uma quantidade suficiente para dar segurança para a nossa população poaense. Temos, ainda, a construção da Central de Segurança Integrada (CSI).

 

GR: Então a segurança, cujo tema inclusive tem rendido cobranças por parte da população, está entre as prioridades de 2019?

Gian: A área da segurança vai receber um investimento maciço este ano, algo nunca antes investido em Poá. Com a Atividade Delegada nós vamos praticamente dobrar a quantidade de policiais diariamente no município. Hoje a cidade tem 23 GCMs, e nós vamos pular para 110. Hoje temos cinco viaturas. Vamos pular para 12 veículos, 10 motos e 10 bicicletas. E o principal é o monitoramento. As entradas e saídas da cidade vão ter um aparelho chamado Detecta, além da construção do CSI, tudo isso para esse ano ainda.

 

GR: Vai depender de apoio do Estado?

Gian: Estamos buscando recursos com o governador João Doria (PSDB), mas tudo isso que estou te falando são recursos próprios. Inclusive a reforma da Companhia da PM na área central, que já está em licitação, também são recursos 100% do município.

  
GR: Nesses dois anos de governo, o que o senhor considera como seu ‘grande feito’?

Gian: Além de ajustar a casa, meu maior feito foi combater as enchentes. A cidade de Poá era, talvez, a que mais sofria na região. E, este ano, apesar de ter registrado um dos maiores volumes de chuva dos últimos anos, nós não tivemos enchentes no município porque colocamos como prioridade o combate a esses problemas, que são históricos.

 

GR: Geração de empregos é e sempre será uma preocupação da população. O que tem sido feito pela prefeitura nesse setor, inclusive em relação aos servidores municipais?

Gian: Sobre os servidores, o que podemos fazer é melhorar os salários, e é o que vamos fazer. Fizemos 2018, vamos fazer em 2019 e também vamos dar o de 2017, pois não demos lá atrás. Agora, referente a emprego, nós estamos atraindo empresas, como já atraímos o mercado Shibata, com quase 200 empregos diretos e cerca de 350 indiretos, também o Ragazzo, que já está na cidade, e agora o Burger King, que começou a construção de sua lanchonete, dentre outras empresas que estamos trazendo para cá.

 

GR: E a relação do governo com o legislativo?

Gian: A Câmara Municipal tem sido parceira para que os projetos aconteçam. Isso é muito importante e eu tenho que agradecer o legislativo, pois com a parceria, quem ganha é a cidade de Poá.

 

GR: O que a população pode esperar dos dois anos de mandato que restam?

Gian: Nós vamos concluir todos os projetos que estamos anunciando e melhorar a vida das pessoas. Esse é o nosso compromisso com a população e para isso que fomos eleitos.

 

 

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*