Arujá desenvolve Plano de Turismo

Município pretende pleitear o título de MIT (Município de Interesse Turístico) ao Governo do Estado

 

Por Giovanna Figueiredo / Foto: Bruno Arib 

 

A UNG (Universidade de Guarulhos), através de uma parceria com a Prefeitura de Arujá, está concretizando um Plano Diretor de Turismo para o município. A realização é feita por alunos do curso de Turismo, com a supervisão de professores do curso, na disciplina de POT (Planejamento e Organização do Turismo). Segundo a coordenadora do curso e professora da disciplina, Claudia Parra Rhormens, a cidade tem a possibilidade de se tornar um MIT (Município de Interesse Turístico).

O Plano ainda está sendo desenvolvido e de acordo com a professora deve ser entregue até o final deste ano. Posteriormente, cabe à prefeitura analisar a sua aplicabilidade e encaminhar o projeto para discussão e votação na Câmara.

 

OPINIÃO – A GAZETA foi à Rodoviária de Arujá, que segundo os moradores é o único ponto de lazer da cidade. No local, entrevistados declararam que falta investimento no setor, mas acreditam que a cidade tem um potencial turístico. Vale ressaltar que o espaço não é da prefeitura e sim uma área privada.

“O shopping de Arujá não saiu do papel” Tiago Lopes, estudante

“Eu acho que ainda falta muito investimento no turismo, tem muito o que se desenvolver, porque tem pouco espaço para isso. Mas tem como fazer, por exemplo, o shopping de Arujá, que ainda não saiu, além de investimentos em outras áreas que atrairiam pessoas para a cidade. Atualmente nós só temos a rodoviária, às vezes tem jogos de basquete, mas não é divulgado”, comentou o estudante Tiago Lopes, de 17 anos.

“Não tem nada, a infraestrutura é muito precária”
Edison de Paula


Já para o morador do bairro Arujamérica, Edison de Paula, o lazer e o turismo no município são fracos. “Não tem nada. Têm alguns lugares que podem se tornar, como praças e outros locais, mas a infraestrutura é muito fraca.”

 

MIT – MIT é um título que dá direito ao município de receber uma verba de cerca de R$ 600 mil no seu orçamento anual para ações de fomento e estímulos ao turismo. Para ser um MIT é necessário ter potencial turístico, dispor de serviço médico emergencial, meios de hospedagem, restaurantes e serviços de informação turística; água potável e coleta de lixo; e Plano Diretor de Turismo e Conselho Municipal de Turismo.

A Lei que estabelece as regras do MIT diz que o Estado pode ter 140 municípios beneficiados, e atualmente são 97. Arujá, Biritiba Mirim e outras cidades da região que pretendem pleitear o título precisam acelerar os trâmites para não ficarem de fora.

 

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*