As promessas dos candidatos para a segurança da região e do Estado

Números da Secretaria de Segurança Pública indicam carência em políticas de Segurança Pública

 

Por Gabriel Dias / Fotos: Divulgação 

 

Levantamento feito pela GAZETA sobre a criminalidade no Alto Tietê revela oscilação dos índices de crimes na região se comparados os primeiros semestres de 2017 e de 2018. Na esteira dos números da Secretaria de Segurança Pública o jornal apresenta as propostas dos candidatos a governador de São Paulo [os cinco mais bem posicionados nas pesquisas eleitorais] para o setor.

As cidades investigadas são: Arujá, Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis, Santa Isabel e Suzano, além de Bertioga, bastante frequentada pelos moradores do Alto Tietê.

Em todos municípios, foram levantados dados criminalísticos como homicídio, tentativa de homicídio, lesão corporal dolosa, latrocínio (roubo seguido de morte), estupros, estupros de vulnerável, roubo de veículos, roubo de carga e furto.

De acordo com o site oficial da Secretaria de Segurança, os casos de homicídios na cidade de Itaquaquecetuba cresceram de sete para 12, o equivalente a 71% na comparação entre 2017 2018. No mesmo caminho está a cidade de Arujá, com 40% a mais de casos registrados, além de Bertioga, com 25%, e Santa Isabel, com 20%.

Já os municípios da região que diminuíram os índices de homicídios foram Suzano, com -44%; Poá, com -29%; Mogi, com -21%; e Ferraz, com -62%.Confira mais dados no quadro.

 

Os tipos de crimes com oscilação entre 2017 e 2018

 

TENTATIVA DE HOMICÍDIO – Outros crimes como tentativa de homicídio, por exemplo, a cidade que representou altos índices nestes casos foi Suzano, com 120% de alta. Arujá registrou aumento de 25% e Guararema 33%.

Em Mogi das Cruzes, no primeiro semestre do ano passado foram registrados 20 casos, e neste ano, 21. Poá saiu de zero para cinco ocorrências de tentativa de homicídio. Salesópolis permaneceu no zero a zero.
Cidades que registraram queda nos crimes de tentativa de homicídio foram Bertioga, com 14% de queda, e Biritiba Mirim, com 50%. Já em Ferraz de Vasconcelos essa prática de crime caiu 100%, em Itaquaquecetuba 43% e Santa Isabel 67%.

 

LESÃO CORPORAL – Lesão corporal dolosa, quando há intensão de matar, Arujá registrou queda de 16%, Bertioga 14%, Biritiba Mirim 19%, Ferraz 31%, Itaquaquecetuba 22%, Poá 2% e Salesópolis 19%. Em Guararema, esses índices também caíram. Mogi, Suzano e Santa Isabe foram as cidades que registraram aumento destes crimes.

 

LATROCÍNIO – Arujá, Santa Isabel, Ferraz, Mogi das Cruzes e Biritiba Mirim, por exemplo, pularam de zero em 2017 para um caso em 2018. Bertioga, Salesópolis e Guararema ficaram no zero a zero em crimes de latrocínio (roubo seguido de morte).

Em Itaquaquecetuba e Suzano, o latrocínio caiu de dois para um neste ano. Já Poá diminuiu em 75% estes casos.

 

ESTUPRO – Casos de estupro em Arujá aumentaram em 80% até o primeiro semestre deste ano. Bertioga lidera por enquanto este tipo de ocorrência somando-se em 250%. Em Biritiba Mirim, aumentou 100%, Ferraz 60%, Poá 133% e Mogi das Cruzes 29%.

Salesópolis não registrou ocorrências desse tipo em 2017 e 2018. Já em Itaquaquecetuba houve queda de 46% nos estupros, Guararema ficou no dois a dois nestes anos, e Santa Isabel caiu de três casos para dois. Em Suzano houve queda de 38% em ocorrências de estupros.

 

ESTUPRO DE VULNERÁVEL – Em Arujá, os crimes de Estupro de Vulneráveis contra menores de 14 anos, pessoas enfermas ou deficientes, aumentaram em 122%, Bertioga saiu de zero para seis. Biritiba Mirim de 2017 a 2018 ficou em seis ocorrências. Em Ferraz caiu para 25%.

Em Guararema, esses casos aumentaram em 25%. Itaquaquecetuba e Santa Isabel aumentaram 60% e Mogi para 27%. Poá registrou crescimento de 17% e Suzano de 50%. Salesópolis subiu de zero para um.

 

ROUBO DE VEÍCULOS – Em Arujá, casos de roubo de veículos subiram 13%, Bertioga ficou nos 27 casos em 2017 e em 2018. Biritiba registrou aumento de 75%, Guararema de 29% e Santa Isabel crescimento em 16%.
Os municípios que tiveram redução nestes crimes foram Salesópolis, Ferraz, Itaquaquecetuba ,com redução de 22%, Mogi das Cruzes, Poá e Suzano.

 

ROUBO DE CARGA – Guararema neste ano registrou aumento de 167% em roubo de carga. Arujá chega a 20% e Ferraz de Vasconcelos 11%. Bertioga não teve novidades, em 2017 e 2018, foram quatro casos. Biritiba Mirim pulou de zero para um.

Outras cidades como Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá e Santa Isabel, registraram redução neste tipo de crime. Suzano catalogou baixa de 60% em roubo de carga, já em Salesópolis nenhuma ocorrência nesse período.

 

FURTOS – Furtos na cidade de Arujá caíram 1%. Guararema foi a cidade que mais teve redução neste tipo de crime, com 33%. Bertioga, Biritiba e Suzano também registraram queda em furtos.

O restante das cidades do Alto Tietê teve aumento nestes casos e Salesópolis é a cidade que encerra o primeiro semestre de 2018 com maior crescimento: 72%.

 

Segurança na opinião dos cinco primeiros para Governador

 

Márcio França (PSB) – Para Márcio França, a violência tem causas psicológicas e sociais. “As causas sociais estão no desemprego, na concentração de renda, na exclusão social, no crime organizado, no crescimento desordenado das grandes cidades, na desestruturação da família, no abandono das crianças e nas frustrações dos jovens. A falta de segurança para o candidato é incentivada pela impunidade, lentidão da justiça, corrupção policial e pela crise do sistema penitenciário”, opina.

 

 

Luiz Marinho (PT) – “Dados da violência em São Paulo é uma quase epidemia. Países mais seguros contam abaixo de 5 homicídios por grupo de 100 mil habitantes, São Paulo ocorre 20 homicídios por 100 mil habitantes. A Política de Segurança será baseada na promoção, garantia e ampliação de direitos, prevenção à violência, reforçar a presença do Estado nas periferias e políticas públicas, esporte, cultura, lazer, geração de emprego e renda. Reestruturar a Polícia Civil e modernizar os equipamentos”, promete

 

 

João Doria (PSDB) – Para Doria, São Paulo avançou na área da Segurança Pública e da Administração Penitenciaria. “A queda dos índices criminais de homicídio nas últimas décadas tem sido significativa, transformando São Paulo, ao lado de Nova Iorque (EUA) e Bogotá (Colômbia), numa das mais bem-sucedidas experiências mundiais de redução de mortes”, explica.

 

 

Skaf (MDB) – Skaf pretende combater a criminalidade intensificando e distribuindo adequadamente o policiamento ostensivo e preventivo. Coibir os pequenos crimes. Utilizar o INFOCRIM (Sistema de Informações criminais) como o principal meio de geração de informações. Expandir e aprimorar a Central de Comando e Controle com sistemas de monitoramento via câmeras com gestão analítica de vídeos, drones, balões e/ou satélites.

 

 

Major Costa e Silva (DC) – “Reestruturar os planos de carreira das polícias militar e civil. Integrar as forças de segurança incentivando a aproximação e unificação dos órgãos de inteligência. Investir no preparo e aperfeiçoamento do pessoal. Estabelecer intercâmbio Internacional permanente com Administrações Nacionais, em esfera mundial, objetivando o aprimoramento de estratégias de segurança pública do estado. Reformulação do sistema penitenciário, para que atenda sua missão de ressocializar os apenados, aproveitando o potencial de trabalho dos detentos e promovendo a formação técnico-profissional”, defende.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.