Biritiba Mirim comemora 52 anos

Há mais de cinco décadas, Biritiba emancipou-se de Mogi das Cruzes, passando a ser um município autônomo. Foto: Lailson Santos

 

Por Renan Xavier

De Biritiba

 

No dia 5 de maio, próxima quinta-feira, Biritiba Mirim completa 52 anos de emancipação político-administrativa, que serão oficialmente comemorados durante o desfile cívico que será realizado no domingo, dia 1º de maio, na avenida Ferdinando Jungers. Historicamente combativa, a cidade enfrenta, mais uma vez, as dificuldades financeiras que desafiam o País, imerso numa crise política e financeira. Dessa vez, no entanto, alguns debates pautam o desenvolvimento do município, composto, em sua maioria, por trabalhadores das lavouras: o engajamento pela compensação financeira pela produção de água e a proximidade das eleições municipais, quando a população deve escolher o novo chefe do Executivo.

A vocação de Biritiba para a produção de água é evidente, já que a cidade é banhada pelas águas de rios como o Tietê e abriga as represas que integram o Sistema Produtor Alto Tietê. O fornecimento do recurso hídrico, no entanto, gera uma série de restrições ao desenvolvimento industrial e urbano. Daí a demanda histórica do município por uma compensação financeira paga pelo Estado e União pela produção e fornecimento de água. Em março, foi criada uma Frente Parlamentar Mista dos Municípios Produtores de Água, encabeçada pelo deputado federal Marcio Alvino (PR).

Sobre as eleições deste ano, o atual prefeito Carlos Alberto Taino Junior (PSDB), o Inho, declarou que não se posicionará em favor de nenhum candidato, aumentando ainda mais a expectativa sobre a sucessão.

 

História        

Biritiba Mirim já pertenceu a Mogi das Cruzes e o Rio Tietê já foi o ponto de passagem de bandeirantes, cortando seu território.

A cidade se caracterizou como a passagem de tropeiros em busca de feiras de gado, vindo à zona rural em busca de produtos alimentícios e de higiene Segundo a tradição, estes viajantes tinham o hábito de fincarem cruzes na terra ao longo dos caminhos por onde passavam, com a finalidade de orientar os próximos viajantes e demarcar espaços por onde haviam passado.

Foi daí que surgiu a estrada de Santa Catarina, que margeia o Rio Tietê, sendo este o primeiro povoado da região. Foi num local repleto de cruzes que se construiu a primeira capela de Biritiba Mirim, a de São Benedito, que se tornou centro de devoção. Mais tarde esta modesta capela tornou-se a Igreja Matriz de Biritiba, marco inicial do município que completa, neste dia 5, 52 anos de emancipação político-administrativa.

Diz a tradição que uma menina de 10 anos, chamada Firmina, foi quem motivou a construção da capela. Acreditava-se que ela era capaz de, com sua fé, fazer profecias, multiplicar alimentos e curar pessoas.

 

Informações sobre a população

População – 30.455

Grau de Urbanização – 86,40

Índice de envelhecimento – 56,49

População com mais de 60 anos – 12,55

Índice de Desenvolvimento Humano Municipal – IDHM – 0,712