Braz Cubas sofre com falta de saneamento

Moradores estão preocupados com o período e chuva que terá início a partir de setembro. Fotos: Bruno Arib e Sicha

 

Por Irânia Souza

De Brás Cubas

 

Preocupados com os próximos meses, quando o período de chuva costuma ser mais intenso, os moradores do Jardim Planalto, em Braz Cubas, estão pensando como vão fazer para evitar que a água invada as residências da rua José Juça Alves, onde moram centenas de pessoas. O local não conta com saneamento básico e demais serviços públicos.

ABRE_Mogi_Reclamações Braz Cubas - foto 3 @brunoarib - RAIMUNDORaimundo de Jesus é membro da Associação de Moradores do Planalto. Segundo ele, funcionários do Serviço Municipal de Águas e Esgotos (SEMAE) estiveram no local para fazer uma vistoria, porém, o problema não foi resolvido. “Eles vieram, mediram para canalizar o esgoto, mas, infelizmente, ficou apenas na promessa. Foi criada uma expectativa em todos, porém, permanecemos sem saber o que fazer. Só pensam em organizar o centro e os bairros próximos, agora nós, que estamos aqui no fundo de Braz Cubas, ficamos esquecidos. Quem sabe daqui a uns dois anos, quando não tiver mais nada para fazer no centro, vão lembrar-se do povo do Planalto”, afirmou.

Janaina reside no bairro mais de 15 anos e de acordo com a moradora, muitas coisas são feitas pelos próprios moradores. “A limpeza do córrego é feita pela colaboração dos próprios moradores paracontratar o serviço, mas não adianta, pois, quando chove, a situação se repete. Nós somos esquecidos, até para as mães tentarem uma doação de leite é difícil. Na minha casa tem piolho de cobra, aranha e outros bichos por conta da falta de limpeza dos matos”, disse.

No Jardim Aeroporto lll, a principal queixa dos moradores também foi à questão da chuva. Dessa vez a ausência de boca de lobo na Rua Dr Miguel Vieira Ferreira está fazendo falta. “A rua fica parecendo um rio, precisa muito de boca de lobo. Os moradores fizeram muro, comportas para evitar a entrada de água, mesmo assim, não adianta. Nunca ninguém veio verificar esta situação”, relatou a moradora Janete Rodrigues.

Narcisa Mafra também confirmou a reclamação da vizinha. “Eu penso que se já colocaram luz, água e asfalto, não custa nada voltarem para terminar a obra. Toda vez que chove a gente sofre. Teve morador que perdeu tudo na última chuva forte”.

Considerado pelos próprios moradores como um bairro extenso, o Oropó também apresenta alguns problemas de infraestrutura. “Aqui, nós precisamos de muitas coisas, lotéricas, bancos e escolas estaduais. As unidades que existem ficam muito longe e tudo que temos que fazer é preciso ir até o centro”, contou a dona de casa Andreia Santos, moradora da Avenida América.

Francisca é moradora do Oropó há 25 anos. Conhecida como baixinha, ela conta o que precisa ser feito na Rua Professora Joaquina, antiga Rua Ásia. “Nós estamos precisando é que os grandes lembrem que nós existimos,porque pagamos imposto. Aqui não temos paralelepípedo, pois consideram área de manancial. Mas pagamos esgoto e IPTU e não temos calçamento e guias e isso eu não entendo?”, destacou.

 

Outro lado

Quanto à reclamação dos moradores do Jardim Planalto, o Semae informou que, atualmente, não há obra de ampliação de rede de esgoto em execução no Jardim Planalto. Quanto ao esgoto na Rua José Juça Alves, uma equipe do Semae irá ao local para verificar o problema e adotar as medidas necessárias para solucioná-lo.

Já a reclamação do Jardim Aeroporto lll e Oropó, a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos informou que tem conhecimento da demanda, mas, no momento não há, contudo, previsão para a execução do serviço.