Câmara de Biritiba coloca contas de volta aos eixos

Há pouco mais de 100 dias na presidência do Legislativo, Marcelo da Imobiliária reverteu despesas. Foto: Bruno Arib

 

Por Renan Xavier

 

Cortes de gastos. Essa tem sido a palavra de ordem na maioria das Câmaras Municipais do Alto Tietê, em meio à crise econômica que ainda reflete no País. Em Biritiba Mirim, não é diferente. Sob o comando de Marcelo Melo (PR), o Marcelo da Imobiliária, economia se tornou a regra da casa.

Quando eleito para a presidência, há pouco mais de 100 dias, as dívidas da Câmara somavam R$ 80 mil, segundo o vereador. Nesta semana, ele apresentou o extrato de saldo dos recursos da casa, com R$ 69,5 mil em caixa.

“Isso é resultado de muito trabalho e, acima de tudo, respeito ao dinheiro do contribuinte”, comemorou Marcelo. “Tivemos que fazer a lição de casa, com total transparência e revisão das despesas”, explicou.

Segundo ele, os carros oficiais foram praticamente suspensos. Com diversos veículos em condições precárias, o presidente da Câmara avalia se seria melhor leiloá-los ao invés de fazer os reparos, caso haja uma vantagem econômica.

“Além disso, o Legislativo tem funcionado nesses primeiros meses de forma harmoniosa. Os parlamentares entenderam a situação pela qual passa a economia do País e puseram as mãos em obra. Exemplo disso foi a pintura da Câmara e dos próprios gabinetes, que foi realizada voluntariamente pelos vereadores”, disse Marcelo.

Para o presidente da Câmara, essa economia pode gerar um padrão para que outros vereadores sigam após o término de seu mandato. “Temos que entender o dinheiro é do povo, portanto não podemos gastá-lo de forma irresponsável”, ponderou.