Casos de roubos de carga têm queda de 21% em Arujá, mas violência assusta

Caso de jovem que desapareceu no Rio Tietê após fugir de sequestro que começou no Rodoanel Mário Covas leva motoristas a questionarem a segurança no trecho

 

Por Gabriel Dias / Foto: Divulgação

 

Os casos de roubo de carga em Arujá caíram 21%. A comparação é feita entre os meses de janeiro a novembro de 2017 e o mesmo período de 2018. Em números absolutos, foram registradas 94 ocorrências em 2017 e 74 em 2018.

Mesmo diante deste cenário, quem corta trecho pela cidade corre risco de protagonizar um roubo de carga ou até mesmo um sequestro.
Este é o caso do caminhoneiro Nereu Duarte Felipe, de 39 anos, e seu sobrinho Leonardo dos Santos Felipe, 18, que na última quarta-feira (9) foram abordados por bandidos no Rodoanel Mário Covas (Trecho Leste), que corta parte da cidade.

Segundo as primeiras informações, tio e sobrinho iriam fazer uma entrega quando foram abordados pelos criminosos. De acordo com Duarte Felipe, os bandidos ainda roubaram cartão de crédito e sacaram a quantia de R$1,5 mil no dia do crime.

O caso se estendeu quando os ladrões fizeram do caminhoneiro e seu ajudante reféns. Ambos foram levados para uma casa no bairro paulistano Itaim Paulista, que serviu de cativeiro.

Ao notarem que durante a noite os criminosos estavam dispersos, tio e sobrinho resolveram fugir, mas não contavam que o trajeto da fuga desembocava num dos braços do Rio Tietê. Nereu, o caminhoneiro, conta aos policiais que conseguiu atravessar a área alagada do rio, mas Felipe ficou no meio do caminho por que não sabia nadar e acabou se perdendo em meio à vegetação que estava sobre a água.

Segundo informações do próprio caminhoneiro, o rosto dos bandidos não pôde ser visto por que a todo instante eles pediam para que os dois permanecessem de cabeças baixas.

O caso foi registrado pelo tio da vítima no 4º Distrito Policial de Guarulhos. Os bombeiros ainda continuam as buscas pelo jovem de 18 anos.

 

POLÍCIA E SPMAR – A PRE (Polícia Rodoviária Estadual) foi questionada sobre como é feita a segurança de motoristas que utilizam o Rodoanel Mário Covas nas proximidades de Arujá.

Em nota, a PRE afirma que o “policiamento rodoviário tem como princípio a preservação de vidas” e que, “ações preventivas são realizadas em diversos trechos do Rodoanel”.

Ainda de acordo com a nota do Policiamento Rodoviário, tanto na SP-330 quanto nas alças de acesso à SP-021 são realizados pedidos pela PRE de iluminação artificial nos pontos de maior incidência de delitos.

A nota encerra revelando um dado importante: Em 2018, segundo o policiamento, 43 pessoas foram presas em flagrante no Rodoanel, diversos procurados pela Justiça também foram capturados e mais de 194 kg de drogas foram apreendidas.

Em relação a armas de fogo, em 2018, 5 delas foram apreendidas, além de 7 simulacros apreendidos. Mais de 33 mil veículos foram vistoriados em operações no combate à criminalidade.

A GAZETA entrou em contato com a SPMAR, concessionária que administra o Rodoanel. No entanto, não responderam aos questionamentos se estes trechos são monitorados por câmeras de segurança e o que é feito para combater a prática destes crimes.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.