Comércio administra queda nas vendas e cautela é palavra de ordem em Itaquá

Presidente da Acidi, Luciano Dávila, avisa que é preciso conter os gastos este ano. Foto: Lailson Nascimento

 

Depois do fim de ano com quedas esperadas na porcentagem de vendas se comparada ao mesmo período de 2014, o comércio parte para mais um desafio em 2016. A orientação da Associação Comercial e Industrial de Itaquaquecetuba (Acidi) é cautela. Cautela nas compras, na reposição dos estoques e nos gastos.

No fim de 2015, após um ano de instabilidade econômica, a queda nas vendas em relação ao fim de 2014 já era esperada e fez os lojistas se prepararem, segurando o impacto da redução nos negócios, que girou em torno dos 10%.

Para as grandes redes, a queda nas vendas foi menor. Esperando uma procura abaixo das expectativas, as grandes lojas conseguiram administrar bem os seus produtos e minimizar os prejuízos. O problema maior ficou com os comércios de pequeno porte. Sem grandes estoques, arriscar-se com grandes gastos gerou quedas significativas, chegando a 30% em alguns segmentos.

 

Balanço

O presidente da Acidi, Luciano Dávila, fez uma avaliação positiva das vendas no período de final de ano. “Claro que é melhor crescer e aumentar as vendas, mas depois do ano instável que passamos, calcular uma queda que gira os 10% acaba não sendo tão ruim. Somando as oscilações de inflação, conseguimos respirar nas vendas de fim de ano”, explicou.

Além da avaliação das vendas, Luciano ressalta que cautela é a chave para se manter forte e crescer em 2016. “O ano começou instável e deve ser assim nos primeiros meses. Então é complicado fazer uma previsão. Os lojistas precisam acreditar que as coisas vão melhorar e trabalhar focado com bastante atenção às vendas e compras. Com cautela, de pouco em pouco, acredito muito que teremos um ano melhor para o nosso comércio. Nenhum segredo maior que trabalhar e acreditar”, concluiu.