Conselheiro do banco de alimentos denuncia primeira-dama por desvios

Fábio Salvador denunciou um suposto esquema de desvio de alimentos pela primeira-dama Joerly Nakashima e Milton Vilela de Almeida. Foto: Lailson Nascimento

 

Por Renan Xavier

De Itaquá

 

A Prefeitura de Itaquaquecetuba, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social e a Secretaria de Abastecimento e Segurança Alimentar, estaria desviando produtos do banco municipal de alimentos. O autor da denúncia é o conselheiro do banco de alimentos de Itaquá, Fábio Salvador, que a encaminhou para o Ministério Público de São Paulo. Segundo ele, a distribuição de alimentos está sendo feita de forma arbitrária, sem avaliação de perfil dos cidadãos em situação de vulnerabilidade social. A real motivação da distribuição, segundo o conselheiro, seria eleitoral.

À frente da pasta de Assistência Social e do Fundo Social de Solidariedade, Joerly Nakashima, também esposa do prefeito de Itaquá, Mamoru Nakashima (PSDB), foi o principal alvo de apropriação indébita da máquina pública. Outro envolvido, segundo a denúncia, seria o secretário da pasta de Abastecimento e Segurança Alimentar, Milton Vilela de Almeida.

“Resolvi fazer a denúncia ao Ministério Público porque, durante meu trabalho à frente da fiscalização, observei que a distribuição dos alimentos não está sendo realizada devidamente. O certo é que o município organize a distribuição de acordo com as pessoas em condições de maior vulnerabilidade, que estão no Cadastro Único”, declarou Salvador. O Cadastro Único do Município é uma ferramenta fundamental para conhecer a realidade das famílias e implementar políticas públicas específicas.

Outra queixa do conselheiro diz respeito aos sorteios de cestas básicas. “Eu presenciei um sorteio em que crianças doentes e mães com muitos filhos saíram de mãos abanando, enquanto a pessoa sorteada guardou a cesta de alimentos em seu carrão e foi embora”, narra. Salvador ainda denuncia que os alimentos do banco municipal estariam sendo direcionados a vereadores da base aliada de Mamoru. Por sua vez, os legisladores distribuiriam tais alimentos como forma de fidelizar eleitores. Salvador preferiu não citar nomes.

 

Outro lado

Questionada, a Prefeitura de Itaquaquecetuba não se manifestou até o fechamento desta edição.