Em Bertioga, morte de mulher continua envolto em mistério

Polícia aventa suicídio, e não está descartada a hipótese de homicídio. Foto: Arquivo Pessoal

 

Por Aristides Barros

 

A morte de Gabrielly Teixeira de Oliveira Santos, de 20 anos, em Bertioga, está sendo investigada pela Polícia Civil que inicialmente trabalha com a possibilidade de a jovem ter cometido suicídio. Entretanto, os policiais não descartam a hipótese de ela ter sido assassinada.

O cadáver encontrado em um matagal na Riviera de São Lourenço já estava em adiantado estado de putrefação, e estava dependurado em uma árvore por uma corda. Por conta disso, a linha de trabalho aponta para o suicídio, mas na outra ponta, a presença de um afundamento no lado direito do crânio sustenta a tese de homicídio. A Riviera é um bairro de alto padrão com várias câmeras de vigilância, cujas imagens podem ajudar a elucidar o caso.

A polícia já tem algumas dessas imagens que foram conseguidas por meio da colaboração da administração da Riviera, segundo informou uma fonte que trabalha no local. O corpo foi encontrado onde está localizado o Módulo 3, em um matagal “atrás” do Supermercado Pão de Açúcar.

A versão de suicídio é vista com reservas tendo em vista que o corpo dependurado mantinha os pés no chão, sendo difícil um enforcamento com a pessoa podendo pisar o solo. Outra situação que “desmonta” a ideia de que a mulher possa ter dado fim à própria vida é a posição do nó da corda. “O nó estava no lateral do pescoço, próximo ao queixo. Nos suicídios por enforcamento, geralmente, os nós ficam na nuca”, disse à imprensa o delegado titular de Bertioga, Sérgio Lemos Nassur.

 

SEM SUSPEITOS – Nassur ouviu na quarta-feira (10), O DJ que namorava com Gabrielly e com quem ela foi vista pela última vez – em 1º de janeiro – e o “tirou” da condição de suspeito. “Diferente do que anda circulando nas redes sociais, ele não é suspeito de absolutamente nada”, afirmou o delegado titular.

O DJ contou ao chefe policial que após uma discussão com a namorada ela saiu e não mais a viu. O depoimento aconteceu na presença do advogado do DJ.

 

OUTRA MORTE – O misterioso caso de Gabrielly vem seguido de outro ocorrido recentemente na Riviera de São Lourenço, que apesar de contar com forte esquema de segurança particular, apresenta falhas.

No início de novembro de 2017, mais precisamente no dia 1º, no bairro luxuoso era noticiada a tragédia ocorrida com uma criança de dois anos que morreu após cair do sexto andar de um prédio.

Segundo informações da polícia, a queda da criança se deu após ela entrar pela passagem do ar condicionado de onde caiu e morreu devido a um traumatismo craniano.

 




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *