Em evento, Edson da Paiol reúne simpatizantes da causa animal na Câmara

Parlamentar organizou o 1º Encontro de Protetores de Itaquá

 

Da Redação/ Fotos: Bruno Arib 

 

Com o propósito de orientar e beneficiar o trabalho de pessoas que se dedicam à causa da proteção animal foi realizado na sexta-feira (15), no Legislativo Itaquaquecetubense, o 1º Encontro de Protetores de Itaquá e Região. O evento foi organizado pela Comissão Permanente de saúde da Câmara Municipal de Itaquaquecetuba e contou com a participação de cuidadores, ativistas e protetores, além de ONGs em defesa da causa animal.
Veterinário, o vereador e presidente da Comissão da Saúde, Edson Rodrigues (PODE), o Edson da Paiol, fez um balanço positivo do encontro.

“A ideia era que os visitantes pudessem trocar experiências com diversos profissionais renomados do setor. Este foi o primeiro evento voltado à proteção animal nesta Casa de Leis e que teve como investidura uma programação feita com base nas necessidades apontadas pelos próprios protetores, com temas eleitos por eles, considerados verdadeiros desafios para quem está envolvido com a causa da proteção animal”, falou.

APOIO – Os ativistas Eduardo Roz e a esposa Gracielle Beatriz

Nesta primeira edição, destaque para parte da programação que foi aberta ao público, para que simpatizantes da causa animal participassem de debates sobre o tema, pudessem conhecer ONGs e projetos sérios, além de descobrirem o que podem fazer enquanto simpatizantes do movimento.

A GAARI (Grupo de Apoio aos Animais de Rua de Itaquaquecetuba) apoiou a iniciativa. Na oportunidade, 25 protetores foram homenageados pelo trabalho empenhado em prol dos animais.

“O trabalho dos protetores é tentar minimizar esta crise e, ao mesmo tempo, ajudar estes animais abandonados a encontrarem uma família onde possam dar e receber muito amor, estes são os ‘protetores’. Pessoas que, quando passam pela rua e veem um animal encolhido, desnutrido ou ferido, não conseguem seguir em frente, indiferentes à situação. Estes heróis do dia a dia recolhem os animais, levam a clínicas veterinárias, onde muitas vezes ficam por meses, tamanho o estrago com sua saúde, dão comida, banho e carinho, enquanto paralelamente correm atrás de voluntários que possam ajudar tanto financeiramente quanto na busca por um novo lar para estes bichinhos”, destacou Lessandra Gonçalves, presidente da GAARI.

O encontro contou com a presença de vereadores e autoridades municipais e regionais, entidades, além de simpatizantes, ativistas e protetores.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *