Em sabatina na Câmara de Arujá, Vissechi fala problemas na Saúde

Contrato com a OSS Inovação, marcado por problemas, ainda deixa dúvidas sobre o serviço prestado

  

Por Gabriel Dias / Foto: Divulgação

  

Nesta semana o secretário municipal de Assuntos Jurídicos de Arujá, Carlos Roberto Vissechi, foi sabatinado na Câmara Municipal. Vereadores passaram a questioná-lo sobre contratos da área da saúde e solicitaram respostas para tantas reclamações dos arujaenses.

Na ocasião, Vissechi respondeu, entre outras coisas, os motivos que levaram a Prefeitura de Arujá a renovar por mais de uma vez o contrato emergencial da saúde com a OSS (Organização Social de Saúde) Inovação – que gerenciou até 18/10 os PAs (Pronto Atendimentos) do Barreto e Central, além da Maternidade.

Em resposta, Vissechi disse que não deu tempo para abrir uma nova licitação e por isso o contrato emergencial com a OSS foi renovado. Questionado sobre os pagamentos de médicos e outros funcionários da saúde que trabalharam para a organização social e que estão com seus salários atrasados, Vissechi garante que o dinheiro foi repassado à empresa, no entanto, não se sabe os motivos do atraso.

Um processo foi aberto pela prefeitura contra a empresa devido à OSS ser cobrada pela administração.

   

CO-GESTOR – Na sabatina ainda Vissechi ainda destacou que, para evitar problemas como os ocorridos durante o trabalho da Inovação, a prefeitura decidiu integrar a figura de um co-gestor ao contrato de terceirização da saúde.

No contrato da IDGT (Instituto de Desenvolvimento de Gestão, Tecnologia e Pesquisa em Saúde e Assistência Social), que assumiu a Maternidade e os PAs, atua junto um representante da Saúde – o médico Martino José Piatto.

  

RISCO – Na opinião de Renato Caroba (PT) e Gabriel dos Santos (PSD), a dívida que a princípio é da empresa, pode ser herdada pela prefeitura e a administração terá que arcar com os pagamentos.

Durante a sabatina, os vereadores também lembraram de outros secretários que foram até a Câmara para serem sabatinados, e segundo eles, todo e qualquer tipo de pagamento que cada pasta tem a fazer para empresas, tem que passar em primeiro lugar, pelas mãos de Vissechi, mas o advogado desmente tal informação. Devido à confusão, os vereadores solicitaram que fosse feita uma Audiência Pública com todos os secretários juntos para saber “quem está falando a verdade.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *