Estudo aponta: Arujá é a nona mais perigosa do Estado, seguida de outras cidades do Alto Tietê

De sete cidades da região analisadas por instituto, seis possuem grande potencial a crimes violentos; Arujá lidera ranking

 

Por Gabriel Dias / Foto: Divulgação

 

Estudo divulgado nesta semana pelo Instituto Sou da Paz apontou dados sobre o IECV (Índice de Exposição a Crimes Violentos) em 139 municípios paulistas. Delitos graves como mortes, estupros e crimes contra o patrimônio, por exemplo, foram medidos pela pesquisa. Mediante aos números apresentados, o instituto construiu um ranking das cidades em que estes tipos de crimes diminuíram ou aumentaram entre os anos de 2017 e 2018. Confira levantamento completo no link: http://www.soudapaz.org/o-que-fazemos/materia/ranking-de-exposicao-a-crimes-violentos-sp-2018

De acordo com balanço, a começar por Arujá, a cidade em 2017 teve pontuação de 29,1 com relação ao grande potencial de crimes violentos. Já em 2018, esses casos subiram para 32 pontos, tornando Arujá a nona cidade mais perigosa do Estado de São Paulo entre os 139 analisados pelo instituto.

Por outro lado, Santa Isabel, que em 2017 obtinha a pontuação de 31,4, agora, em 2018, diminuiu para 29,7. No entanto, vale ressaltar que, mesmo se tratando de queda nos índices, os municípios citados ainda estão em posições no ranking consideras perigosas, conforme o estudo.

Embora a avaliação em Santa Isabel tenha caído, o município é o 13º com potencial de crimes violentos no Alto Tietê.

A cidade de Itaquaquecetuba, que em 2017 apresentou, segundo o estudo, taxa de 24,7 em crimes violentos, aparece em 2018 na 18ª colocação e com 27,8 pontos. Isto é, o número de exposições a delitos graves aumentou em Itaquá.

Poá, uma das pequenas cidades do Alto Tietê, registrou queda na pesquisa. Em 2017 o município foi avaliado com 29,3 pontos, e agora, em 2018, houve queda, passando a ser qualificado com 23,9 pontos, ficando na 30ª posição de crimes violentos.

Suzano, em 2017, ficou na 121ª posição com 28,6 pontos. Já em 2018 o município passou a ocupar o 31º lugar, com 23,5 pontos. Mogi das Cruzes, outra grande cidade do Alto Tietê, pôde ser vista em 2017 na 23ª posição. Agora, em 2018, está na 79ª colocação. No entanto, a cidade mogiana no ano anterior (2017) foi avaliada com 14 pontos, agora, em 2018, subiu para 15,9, isto é, Mogi também é um dos municípios em potencial de crimes violentos.

 

POUCA VIOLÊNCIA – A cidade de Ferraz de Vasconcelos é uma das poucas que margeiam o limite do Alto Tietê com a Zona Leste da Grande São Paulo, e mesmo assim, em 2017, foi qualificada com 22,5 pontos, ocupando a posição 85ª no ranking de cidades com grande potencial a crimes violentos.

Agora, em 2018, Ferraz viu os números caírem e a cidade, diante de outros municípios da região, ser a mais segura. De acordo com o Instituto Sou da Paz, houve queda significativa e Ferraz passou a ser avaliada com IECV de 15,33. Atualmente a cidade está na posição 89º, o que significa, segundo os parâmetros do estudo, uma colocação confortável.

Os municípios de Biritiba Mirim, Guararema e Salesópolis não foram contabilizados devido não possuírem nível populacional acima de 50 mil habitantes. Confira a matéria completa na edição deste sábado (11).