Fábia Porto une Secretarias para contingenciar gastos

Na reforma administrativa “forçada” cai de 14 para 10 o número de Pastas

 

Por Aristides Barros / Foto: Divulgação

 

A prefeita de Santa Isabel, Fábia Porto (PRB), promoveu uma reforma administrativa que teve como justificativa a crise financeira nacional, que afeta com maior força os municípios de menor potencial econômico, como é o caso da cidade – cujo orçamento municipal é de pouco mais de R$ 147 milhões. Por conta disso, a chefe do Executivo se viu obrigada a reduzir o número de secretarias municipais, que de 14 caiu para 10.

No corte, que ainda precisa ser apreciado pela Câmara dos Vereadores, foram extintas as secretarias de Planejamento, de Gabinete, de Esportes e de Cultura, que serão diretorias vinculadas às Pastas já existentes. O exemplo é que a Educação vai aglutinar as diretorias de Esporte e Cultura, passando a ser Secretaria de Educação, Esporte e Cultura.

Nas novas denominações a prefeitura passa a ter a Secretaria de Meio Ambiente e Planejamento e Secretaria de Governo e Gabinete. Outros dois setores a serem unificados são a Fiscalização e a Vigilância, que vai passar a ser Diretoria de Fiscalização Integrada.

Fábia assinala que as alterações não vão prejudicar os serviços à população e que mais mudanças podem ocorrer nos quadros da prefeitura se forem necessárias outras medidas visando que a cidade possa atingir a previsão orçamentária.

Ainda segundo ela, com a redução de Secretarias a administração já vai economizar perto de R$ 700 mil até o fim deste ano.

A chefe do Executivo isabelense agradeceu a todos que participaram da equipe do governo “Não me sinto feliz, mas algumas posições são necessárias. Podemos cortar os gastos, o que não podemos cortar são as políticas públicas”, finalizou.