G2 Construtora abandona obra do ‘Revitaliza Itaquá’

Projeto da empreiteira suzanense fica só no marketing e incomoda comerciantes

 

Por Lailson Nascimento / Foto: Rodrigo Oliveira

 

Quando a G2 Construtora deu início ao projeto Revitaliza Itaquá no antigo prédio do Liceu de Artes e Ofícios, no Centro de Itaquaquecetuba, os lojistas do entorno ficaram otimistas. Para eles, a obra – custeada pela própria G2 – serviria para diminuir o histórico de violência na região devido ao estado de abandono do imóvel. Os comerciantes só não sabiam que a empreiteira de Suzano abandonaria o serviço antes mesmo do prazo em que prometeu entregá-lo.

Em junho de 2017, o empresário Douglas Felipe da Silva acompanhou a GAZETA em uma visita ao prédio. À época, ele garantiu que devolveria o local revitalizado para a Prefeitura de Itaquaquecetuba até o fim daquele ano, pois o espaço se tornaria sede da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico. Mas, de acordo com os comerciantes do entorno, o projeto está abandonado.

“Estou aqui há uns oito meses e nunca vi ninguém da empresa trabalhando aí. As únicas pessoas que eu vejo são moradores de rua, que acabam utilizando o local para dormir, usar drogas”, acusa Edmir Sousa, de 46 anos, proprietário de uma bicicletaria localizada em frente ao imóvel.

Funcionários de um escritório despachante vizinho à bicicletaria confirmam a informação de Sousa. “Esse prédio ficou abandonado depois que a escola desocupou o espaço. Quando a empresa começou a mexer, ficamos contentes, pois aumentaria a nossa segurança. Mas logo eles desistiram de mexer e os usuários de drogas voltaram a entrar aí”, disse Edson Moreira, 46, acrescentando que o escritório já foi alvo de furtos de frequentadores do local. “No ano passado, alguns homens saíram do prédio, arrombaram a nossa porta e furtaram tudo o que foi possível. Nós confirmamos isso pelas câmeras.”

 

SÓ MARKETING – O projeto Revitaliza Itaquá é, de acordo com Douglas Silva, um marketing de parceria utilizado pela empresa nos municípios onde ela possui construções. Nesses locais, a G2 recupera os entornos, afim de valorizar essas regiões. “Mas, com o tempo, a iniciativa acabou ganhando outros contornos. Assim, a empresa passou a revitalizar não somente pontos próximos aos empreendimentos que assina, possibilitando que a cidade fique mais bonita e agradável, não só no papel, mas de verdade”, explica Douglas Silva.

Mas em Itaquá, no que depender da G2 Construtora, a cidade “mais bonita e agradável” vai ter que aguardar mais tempo. “Neste momento, a G2 Construtora continua em busca de parceiros para gerar recursos, aprovar devidamente com os órgãos competentes todas as intervenções previstas para o prédio, e finalizar a obra”, informou a empreiteira suzanense, sem apontar qualquer prazo de conclusão.

 




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *