Isaac Grinberg se diferencia no Médio

Na Escola Estadual Isaac Grinberg, a comunidade estudantil recebeu a reportagem do Gazeta Regional e falou dos projetos educacionais desenvolvidos na unidade de ensino. Foto: Laerton Santos

 

Por Irânia Souza

De Mogi

 

A Escola Estadual Historiador Isaac Grinberg, no Jardim Santa Teresa, em Mogi das Cruzes, que atende aproximadamente 693 alunos do Ensino Médio nos períodos manhã e tarde, é referência em desenvolvimento, participação e interação dos estudantes em sala de aula. Na unidade, os alunos recebem aula de robótica, dança, parkour, slackline, entre outras atividades. Para explanar o trabalho desenvolvido na unidade – que optou por atender apenas os estudantes do médio -, a diretora Marina da Rocha recebeu a reportagem do Gazeta Regional.

“Há dois anos, por questão de demanda, a escola começou a atender alunos apenas do Ensino Médio, porém, foi realizada durante um ano uma readequação no prédio, na metodologia de trabalho e nos projetos pedagógicos para receber esses alunos. Como todo início, enfrentamos diversas dificuldades, mas o retorno foi além das expectativas. De acordo com a avaliação do Idesp (Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo), nós tivemos 120% de reaproveitamento”, explicou a diretora.

O prédio é composto por 11 salas e em uma delas a competitividade de entrar e participar das aulas de robótica, química e biologia é visível. A professora Neide Aparecida, de Física, iniciou o projeto há algum tempo e sempre renova a turma para que todos possam ter acesso aos conhecimentos.

“No começo, eles ficam empolgados em já montar o protótipo, mas antes é feita uma pesquisa, avaliações e relatórios para depois chegar à programação. Os alunos têm a oportunidade de mostrar os projetos em campeonatos de robótica promovidos pela Unesp (Instituto de Ensino Superior e Pesquisa), além de feiras e eventos”, ressaltou Neide.

Iniciante na turma de robótica, Ivan Costa, de 17 anos, disse que o projeto é muito importante para o seu desenvolvimento. “A aula evolui a sua capacidade de aprender sobre robótica. Se você gostar, vale a pena investir. Esse projeto é importante para a escola e para o jovem. Eu me sinto privilegiado em ter acesso ao conhecimento”, ressaltou.

Já Paulo Samuel Nunes, de 17 anos, veterano na turma, explicou os projetos que foram produzidos durante as aulas. “Nós temos equipamentos de sensores, adaptadores de som, carregador de celular portátil, um piano, enfim, diversos projetos que foram desenvolvidos durantes as aulas de robótica”.

Paulo cursa o Ensino Médio na unidade e o técnico na Escola Técnica Estadual (Etec) Presidente Vargas. Com a ajuda de professores, ele passou no Vestibulinho no ano passado.

 

Opinião

A dirigente Regional de Ensino, Rosania Morroni, ressaltou que, quando assumiu a Diretoria, em junho de 2014, ficou impressionada com o trabalho desenvolvido pela escola.

“Todos os profissionais da rede em que a diretoria atende desenvolvem um papel importante com responsabilidade e dedicação. Mas a Isaac chamou a minha atenção por ser uma unidade que atende somente um segmento e que consegue colocar em prática bons projetos, que servem de exemplo para outras escolas. Isso é o que estamos tentando obter com a reorganização”, explicou Rosania.