Justiça quer que prefeitura de Bertioga explique evento no Indaiá

Show de Verão em bairro de Bertioga é alvo de questionamentos do Ministério Público Federal

  

Por Aristides Barros / Foto: Bruno Arib 

  

O evento “Praia Music”, previsto para acontecer de 27 a 30 de dezembro no Cantão do Indaiá, em Bertioga, que levará à cidade nomes consagrados do cenário musical brasileiro, chamou a atenção da União, que por meio do MPF (Ministério Público Federal) indagou a Secretaria Municipal de Meio Ambiente sobre os procedimentos para realizar o show.

Além do MPF, o Gaema (Grupo de Atuação Especial de Proteção ao Meio Ambiente – um dos braços do MP-SP (Ministério Público de São Paulo) – e a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) também pedem à prefeitura bertioguense detalhes acerca de atividade de entretenimento.

Todo o aparato indagativo envolvendo órgãos federal e estatal se deve ao fato do evento particular estar previsto para ser realizado em uma área pública. O show em Bertioga será na Praia do Indaiá, e as praias brasileiras são de responsabilidade da Marinha do Brasil, que deve ser notificada de qualquer movimentação em área de seu domínio.

  

BANHEIROS – Além desses agravantes, a prefeitura fez a locação de mais de mil banheiros químicos, que a princípio foi cogitado “teriam sido negociados pela administração municipal para serem destinados nos dias de realização do Praia Music”.

Essa informação provocou a ira da oposição, que se movimentava no sentido de barrar a festa, tendo em vista que a prefeitura não pode investir em um evento particular. O trabalho dos oposicionistas também atenderia a preocupação dos moradores próximos ao local preocupados com a falta de segurança e quebra da tranquilidade.

  

PREJUÍZOS – A prefeitura obrigou que comerciantes retirassem seus trailers e barracas da área do evento. Um deles, que está no local há mais de dois anos, revoltou-se. “Vou gastar mais de R$ 1 mil para sair e vou sair definitivamente, porque não posso ficar tirando e pondo o trailer”, disse, preferindo não ter o seu nome divulgado. Outros comerciantes removidos também não gostaram da ideia, porque há anos estão trabalhando no Cantão do Indaiá.

O show, que ocasiona várias críticas, também afeta o visual do município, em função da colagem de cartazes por diversos locais. “É a poluição visual que deveria ser proibida pela prefeitura. A cidade já não está com uma aparência boa e com papéis grudados pelas paredes e muros fica mais constrangedora”, dizem os bertioguenses.

  

OUTRO LADO – Sobre o pedido de informações do MPF e a possibilidade do cancelamento do evento, a prefeitura respondeu que “as informações solicitadas estão sendo prestadas, o evento está cumprindo todos os requisitos legais e não corre nenhum risco de cancelamento”. Sobre os banheiros químicos, a administração disse que eles serão disponibilizados nos dias de realização de eventos, e não seria propriamente para o Praia Music.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *