Mães mogianas esperam há cerca de 2 anos por vagas nas creches

Somente nos últimos dias mais de 2,5 mil mães aumentaram fila de espera; prefeitura constrói 4 creches

 

Por Giovanna Figueiredo / Foto: Bruno Arib 

 

As mães Priscila, Vanessa, Rafaela, Marlene, Maria e Aldivani têm em comum a espera, o sentimento de esquecimento, o medo de sair para trabalhar e muitas vezes ter que deixar seus filhos com vizinhas e pessoas desconhecidas. Essas mulheres residem no Jardim Planalto, em Mogi das Cruzes, e esperam há cerca de dois anos vagas nas creches para os seus filhos.

Priscila Aparecida Rosa Zancanelli tem 38 anos e dois filhos em idade de frequentar a creche, um tem quase 3 anos e o outro apenas 6 meses. Ela trabalha durante a noite, e ao chegar pela manhã em casa não consegue dar a atenção desejada para seus filhos por conta do cansaço. “Eu já dormi com meu filho nos braços. Tenho que contar com meu filho mais velho para cuidar deles, mas isso não é justo, porque ele tem as coisas dele para fazer e acaba deixando para ficar com os irmãos”, desabafa.

“A gente trabalha e ganhando pouco tem que pagar babá. Eu me inscrevi no ano retrasado, e eles falam que foi sorteio e eu não fui sorteada. Como que eu vou viver? O que a gente ganha, gasta com comida, gás, roupa a gente só compra quando é final de ano, e se eu não trabalhar? Uma pessoa diz: ‘a eu vou olhar seu filho hoje’, daqui a uma semana já não posso confiar mais. É muito difícil”, conta Vanessa Adonis da Silva, 38, que também aguarda na fila de espera por uma vaga na creche há 2 anos e 4 meses.

A que está há menos tempo na fila de espera é Marlene de Oliveira Cruz. Ela conta que está esperando há cerca 8 meses, mas segundo ela, a situação é difícil porque por muitas vezes o marido falta no trabalho para cuidar do filho, prejudicando a renda da família.

Aldivani Borges Marques, por outro lado, é a mãe do grupo de entrevistadas que está há mais tempo na fila, ela conta que têm uma filha de 4 anos e que desde que a menina completou 6 meses ela aguarda por uma vaga. No ano que vem ela já ingressa em uma Escola Municipal de Educação Infantil. Aldivani também espera uma vaga para seu outro filho, de 3 anos.

Rafaela Oliveira do Nascimento tem 20 anos e completa o time: aguarda a vaga há 2 anos.

  

O QUE DIZ A PREFEITURA – Entre os dias 30 de outubro e 7 de novembro foram abertas as inscrições para vagas nas creches do município. De acordo com a Secretaria de Educação de Mogi das Cruzes, neste ano foram inscritas 2.511 pessoas. Os bairros que mais receberam inscrições foram a Vila Natal, Jardim Ivete, Vila Cintra/Vila Jundiaí, Jardim Aeroporto III/Jardim Esperança e Jardim Camila.

A GAZETA questionou quantas pessoas ainda estavam em fila de espera, como as mães citadas nessa reportagem, e qual era o tempo médio de espera por uma vaga. No entanto, a prefeitura respondeu por meio de nota: “A Secretaria de Educação esclarece que não é possível encaminhar as informações solicitadas abaixo, pois neste momento, está sendo feita a reorganização das turmas para o ano letivo de 2019. O tempo médio de atendimento depende do setor em que foi feita a inscrição e a turma em que a criança está buscando vaga.”

Como a prefeitura não informou o número de pessoas que aguardam nas filas de espera, nem o número de vagas disponibilizadas, fica o questionamento: “Quanto tempo mais mães como as do Jardim Planalto terão que esperar para que o direito de seus filhos de frequentar uma creche seja garantido?”, questionam as entrevistadas.