Marcelo do Quico está inelegível, diz advogado

Pretenso candidato a prefeito de Salesópolis foi condenado por crime contra a fé pública

  

Por Lailson Nascimento / Arte: André jesus / Foto: Divulgação

  

O ex-vereador de Salesópolis Francisco Marcelo de Morais Correa (PSD), o Marcelo do Quico, está inelegível nas eleições de 2020. A opinião é do advogado especialista em direito eleitoral Leonardo Freire, que analisou, a pedido da GAZETA, o processo de “crime contra a fé pública” movido pelo MP-SP (Ministério Público de São Paulo) contra o político.

Acusado de falsificar assinatura de médico para se beneficiar nas eleições de 2012, Marcelo do Quico foi condenado a dois anos e quatro meses de reclusão, mas conseguiu a substituição por penas restritivas de direito. Ele segue recorrendo ao STJ (Superior Tribunal de Justiça), sem jamais obter decisão favorável.

“Recursos não interferem na inelegibilidade”
Leonardo Freire, advogado
   

Segundo Freire, “ainda há recursos, mas não interferem na questão da inelegibilidade”. A situação ‘joga balde de água fria’ nas pretensões do grupo que defende a candidatura de Marcelo do Quico a prefeito de Salesópolis em 2020.

   

ENTENDA O CASO – De acordo com o que consta no processo nº 0001233-98.2012.8.26.0523, Marcelo do Quico falsificou a assinatura do médico Tomoyassu Motisuki em guia para encaminhamento de Tereza Félix a médico especialista. Embora negue a autoria do crime, a Justiça realizou exame grafotécnico no documento e atestou que a letra seria do ex-vereador.

Embora afirme que foi vítima de armação política, a Justiça entende que o acusado falsificou a assinatura do médico justamente para se beneficiar politicamente: “O réu fez uso de documento público falso afim de ganhar popularidade visando a cargo eletivo.”

    

SILÊNCIO – Procurada para se manifestar, a advogada Maiara Melo, que defende o réu, não deu retorno até o fechamento da edição. A reportagem questionou se Marcelo do Quico ainda acredita na absolvição ou se admite a inelegibilidade. O espaço segue aberto para o político.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *