Mau atendimento deixa pacientes impacientes no Hospital de Bertioga

Enxurrada de críticas: Avolumam as reclamações contra a principal unidade de saúde da cidade

Por Aristides Barros / Foto: Laerton Santos

O 1º de Maio deste ano foi o dia em que a OSS (Organização Social de Saúde) INTS (Instituto Nacional de Amparo à Pesquisa, Tecnologia e Inovação na Gestão Pública) começou a dar trabalho para as pessoas que buscam socorro médico no Hospital Municipal de Bertioga, mas que desde a data fatídica só veem a piora na área de saúde da cidade.

As dores dos usuários aumentam e eles não têm o que precisam: um atendimento que corresponda ao valor do contrato milionário assinado pela prefeitura bertioguense e a organização social.

Para realizar o serviço, o INTS vai levar, em dois anos, R$ 32 milhões dos cofres públicos de Bertioga. Uma quantia alta se levado em conta a baixa qualidade de serviço registrada nas várias reclamações de pessoas que esperam por horas para serem atendidas.

Com fortes dores nas costas após sofrer uma queda, Regiane Alves Ferreira também sofria com a espera na recepção do hospital, onde havia mais dezenas de pessoas. “Cheguei às 15h30, já são 16h e ainda nem passei pela triagem. Não sei se vou conseguir atendimento, as dores estão piorando”, contou.

“Estou com a pressão alta e demora aumenta a nossa angústia”, falou Valdenice, que assim como Regiane ainda não tinha passado pela triagem para receber o atendimento. “Já estamos aqui há quase duas horas e nada”, disse o acompanhante de Valdenice, que não se identificou. Eles chegaram no local às 14h.

Também com dores nas costas e dor de cabeça, Junia, que já havia passado pela triagem, aguardava para ser atendida. “A gente fica nervosa com toda essa demora. Deveriam colocar pessoas competentes para atender a população”, criticou.

RESPOSTA DOS ENVOLVIDOS – O jornal questionou a Secretaria de Saúde de Bertioga para que o órgão se posicionasse sobre se tomaria alguma medida visando cobrar do INTS um atendimento eficiente, e também questionou o próprio INTS quando o instituto vai agir para que melhore o serviços.

A Prefeitura de Bertioga, por meio de sua assessoria de imprensa, emitiu resposta onde apresenta os trabalhos que teriam sido realizados, sem afirmar se vai se reunir com a direção do instituto a fim de pedir que o atendimento na unidade médica seja melhorado. O INTS, por sua vez, não respondeu as indagações.