“O povo precisa de um governo transparente”

“O nosso povo quer apenas uma pessoa que trabalhe com transparência e mostre onde está sendo aplicado o dinheiro público”. Foto: Lailson Nascimento

 

Por Lailson Nascimento e Vania Sousa

De Santa Isabel

 

Formada em Jornalismo, Letras, Pedagogia e pós-graduada em Gestão Escolar, Gerente de Cidades e Neuroeducação, Fábia da Silva Porto Rossetti, 40 anos, tem como meta ser prefeita de Santa Isabel. Em 2012, ela se candidatou ao cargo e obteve um resultado que considera positivo: ficou em segundo lugar com uma votação expressiva. Casada e mãe de dois filhos, Fábia Porto trabalhou na Prefeitura de Santa Isabel por 13 anos e foi secretária de Educação e Cultura durante dois anos, obtendo grandes conquistas no setor. Atual presidente municipal do PRB, ela pretende trabalhar a favor das mulheres e defender os interesses da cidade. Em entrevista ao Gazeta Regional, Fábia Porto fala dos desafios do novo prefeito e o que acha que precisa mudar para que a cidade se desenvolva de forma a atender às necessidades prioritárias da população.

 

Gazeta Regional (GR): O que você tem a dizer das eleições de 2012, quando foi candidata a prefeita?

Fábia da Silva Porto Rossetti: Foi a primeira campanha, nunca tinha sido candidata a nada, apesar de ser de família de políticos. O nosso objetivo sempre foi de contribuir com a cidade e foi um resultado positivo ter ficado em segundo lugar. Não perdemos as eleições, ganhamos experiência.

 

GR: Fale um pouco da sua atuação no PRB como mulher?

Fábia Porto: Apesar de ser uma candidata mulher, eu sou presidente municipal do PRB e temos um grupo de mulheres que realiza trabalhos sociais e estamos buscando mulheres para participar dessa iniciativa do PRB Mulher.

 

GR: Como você pretende governar sendo defensora da participação feminina na vida política da cidade e como pretende representá-las?

Fábia Porto: Eu gosto de pensar que eu quero governar para todos. Nós sabemos que hoje a mulher assume diversas áreas e que elas tiveram um crescimento tanto na política quanto na iniciativa privada. Mas o nosso governo não é voltado apenas para a mulher, a nossa proposta é para todos.

 

GR: Você acha que houve um apelo à questão religiosa na eleição do padre? Tem alguma crítica ou comentário a fazer sobre o atual governo da sua cidade? E quais são suas propostas?

Fábia Porto: Em relação à última eleição, independentemente de ele ser um padre do município, eu suponho que o povo, em busca de mudanças, depositou toda confiança em um religioso e acreditou que não haveria corrupção e que ele poderia administrar da melhor forma. Numa administração, cada um tem seu perfil. Eu não estou aqui para dizer que está bom ou ruim, mas eu penso que, quando você assume uma administração pública, você precisa ter no mínimo um conhecimento técnico. Hoje não dá mais para o político não ser profissional.  Então, para o nosso município, eu creio que hoje precisamos de pessoas que tenham amor pela cidade, conhecimento, coragem, foco, dedicação no trabalho e cobrar resultados em busca da qualidade na administração pública. Essa é a nossa proposta.

 

GR: Qual será a sua estratégia de campanha? E o que o povo espera do próximo prefeito?

Fábia Porto: Campanha é uma surpresa! Estamos falando de seres humanos, democracia e individualidade. A tendência é uma renovação. O nosso povo quer apenas uma pessoa que trabalhe com transparência e mostre onde está sendo aplicado o dinheiro público, de uma forma consciente e responsável. O povo precisa depositar uma promissória em branco em pessoas de confiança. Um dos focos importantes e estabelecer o perfil e a economia do nosso município.

 

GR: Na sua opinião, em qual área Santa Isabel precisa se desenvolver? E qual deve ser a prioridade do próximo legislador?  

Fábia Porto: A nossa cidade é estrategicamente perfeita, estamos entre a Grande São Paulo, o Alto Tietê e Vale do Paraíba. Temos 352 mil quilômetros de terra, então, é uma cidade gigante. Ainda temos 83% de mananciais, onde a lei é de 1969, então, a legislação pode e deve sofrer mudanças. O gestor tem de ir em busca do desenvolvimento. Por exemplo, priorizar a criação de um polo industrial, investimentos na educação, agricultura e turismo.

 

GR: O turismo é um setor que deve ter um olhar mais específico da Administração?

Fábia Porto: Cada município tem as suas particularidades, o nosso é belíssimo em questão de turismo. Temos cachoeiras e áreas maravilhosas. Se tivermos um bom projeto turístico, temos tudo para também promover o desenvolvimento econômico municipal. O projeto do PRB é fazer a nossa cidade autossustentável economicamente. Transformar as pessoas em empreendedores, orientando e apoiando. Um pequeno comércio que fecha as portas vai colocar pessoas desempregadas na rua, então, o gestor precisa ter esse olhar em torno de tudo.

 

GR: Quais os maiores desafios e como conseguir vencê-los?

Fábia Porto: São muitos os desafios para o nosso município, principalmente neste momento de crise pelo qual o país enfrenta. É um desafio grande e econômico. É complicado, não dá para viver de sonhos. Mas se houver a técnica dentro de um planejamento, formando uma base para que tudo isso ocorra de verdade, buscando apoio com projetos importantes para a nossa cidade, é possível. O primeiro desafio é fazer com que o gestor enxergue que sozinho ele não faz nada e precisa de pessoas competentes trabalhando junto.

 

GR: Fale um pouco da sua experiência como secretária de Educação e o que isso trouxe de benefício para a cidade?

Fábia Porto: Essa experiência foi uma das melhores da minha vida. Abracei a rede municipal com muito carinho. Realizamos muitas mudanças em busca do desenvolvimento, implantamos sistemas, plano de carreira, enfim, tudo o que era necessário para que a educação atendesse a todos. Na época que eu fui secretária, fizemos a Prova Brasil e o IDEB de 2009 foi meta em 2013, e isso foi muito importante manter. A nossa cidade precisa investir muito em escolas, principalmente para os pequenos, em educação superior, trazer uma faculdade para o município, investir de verdade nas nossas crianças, jovens, adultos e nos idosos. Pretendemos também implantar projetos de conscientização e a Secretaria de Educação estaria focada nessas ações. Santa Isabel será a cidade que educa.

 

GR: Qual mensagem você gostaria de deixar ao povo isabelense?

Fábia Porto: O cidadão isabelense não pode perder as esperanças. A mudança não está no outro e sim em você. A partir do momento em que o cidadão mudar a sua consciência política, a nossa cidade poderá se transformar naquilo que ele almeja há muito tempo. Haverá uma transformação coletiva. O primeiro pensamento deve ser que, por meio dele, poderá ocorrer a mudança.