Passarela em Poá revela abandono do município

Pedestres cobram atitude de Gian Lopes para melhorias na estrutura
Por Gabriel Dias / Foto: Bruno Arib

Reaberta em fevereiro, no entanto, sem que fosse feita nenhuma reforma, a passarela de travessia entre a Rua Vicente Leporace e os bairros Vila Perracine e Vila Sopreter, em Poá, é alvo de diversas críticas de moradores de ambos os bairros. Os ataques se estendem ao prefeito Gian Lopes (PL), que segundo os moradores, não faz nada pela cidade, muito menos melhorias necessárias na ponte.

O acesso que passa pela linha dos trens da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitano) emplaca há tempos, segundo os moradores, o cenário de abandono. A passarela já chegou a ser interditada por apresentar risco de desabamento, e quem utiliza a ponte até brinca que para atravessar de um lado para outro é preciso coragem e também contar com a sorte.

A própria CPTM notificou a prefeitura em relação aos riscos que a ponte traz aos pedestres e aos trens no início do ano. Na ocasião, a companhia pediu, em caráter de urgência, que a passarela fosse interditada. De acordo com engenheiros da autarquia, a ponte corre risco de desabar, já que existem infiltrações na laje, armaduras expostas e vigas de sustentação com corrosões.

CRÍTICAS – Salomão, de 56 anos, é uma das pessoas que se arrisca atravessar de um bairro para outro utilizando a estrutura. Ele fala que para ter acesso ao bairro sem usar a ponte precisaria andar cerca de 5km. “Eu daria muitas voltas até chegar do outro lado. Agora, pior é o prefeito, votei nele, eu o conheço, e ele [prefeito] não faz nada de bom para a cidade.”
Mães com crianças de colo também usam o acesso para ir e vir. “A passarela balança quando os trens passam embaixo”, diz uma mãe que não quis se identificar.

Em um dos trechos, a grade de proteção que teria que evitar quedas está parcialmente solta, isto é, presa por alguns parafusos. O piso que serve de caminho para os pedestres também está caindo e com sinais de desgaste, aumentando ainda mais o risco de acidentes.

Elizeu Ventura, 57, passa todos os dias pela ponte e pergunta em tom de ironia: “Onde é mais perigoso passar, por esta ponte ou lá por baixo?”, apontou para A linha do trem. Em resposta ele diz: “Acho mais seguro atravessar a linha do trem do que passar aqui por cima. Aqui só fazem ‘gambiarra’”, reclama.

SILÊNCIO DE GIAN LOPES – A Prefeitura de Poá se calou diante dos problemas relacionados à passarela. Em fevereiro deste ano, o prefeito Gian Lopes (PL) disse que faria licitação para contratar uma empresa para reformar a passarela, no entanto, nada foi feito. No Portal da Transparência da administração municipal não foi encontrado nenhum processo de licitação para contratar empresas interessadas em fazer a reforma da passarela.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.