Pedidos de tapa buraco triplicam em Itaquá nos últimos dois anos

Salto nas indicações reflete falha na manutenção. Prefeitura diz que já fechou 10,5 mil crateras até agora. FOTO: Bruno Arib

Por Renan Xavier

 

No meio do caminho tinha um buraco. E dos grandes! De sobressalto, o empresário Fernando de Lima, 52, ainda manobrou inutilmente. Mas era tarde para um desvio:  lá se foi a roda dianteira do carro.

Casos como este, que ocorreu no bairro Monte Belo, em Itaquaquecetuba, tornoram-se comuns na rotina dos moradores.

Por isso, de cada quatro indicações feitas por vereadores do município neste ano, uma foi para que a prefeitura fechasse crateras espalhadas pela cidade.

Foram 561 pedidos pelo serviço de “tapa buraco” entre janeiro e outubro: 75% a mais que o registrado no mesmo período do ano passado. E a proporção triplica se comparada a 2015, ano em que os parlamentares só protocolaram 188 pedidos de reparo asfáltico.

O levantamento, que se baseia em informações do Portal de Transparência da Câmara, mostra que as ruas esburacadas estão presentes em praticamente todo o território do município.

Por sua vez, a administração diz que fechou aproximadamente 10,5 mil buracos até outubro, número proporcional aos reparos do mesmo período de 2016.

As toneladas de asfalto, contudo, não deram conta da crescente demanda. Pelas ruas, a reportagem ouviu diversas queixas sobre o desconforto causado pela buraqueira, além dos prejuízos na hora da manutenção.

Mas um dos entrevistados, para a surpresa de ninguém, mostrou-se satisfeito com a situação: era borracheiro. Celso de Arruda, 42, que trabalha na Rua Padre Anchieta, na região central, relata que a procura por seus serviços nunca foi tanta. Uma pilha de rodas amassadas a um canto da oficina explica o entusiasmo.

“Não desejo mal a ninguém, mas tomara que o prefeito não tape todos os buracos tão cedo”, gargalhou o homem cheio de graxa.

 

POÇO SEM FUNDO – Andar pelas ruas de Itaquá requer certos cuidados. Um deles é não despencar em uma cratera aberta em pleno asfalto ou mesmo na calçada.

Desavisado, o pequeno Vitor, de sete anos, caminhava pela Avenida Ferreira de Menezes, no Marengo, a caminho da escola, quando se deparou com uma das arapucas urbanas.

“Ele caiu e ficou todo arranhado, por sorte não foi mais grave”, relata Damilis Daniele de Araújo, 25, mãe do garoto.

O problema teve início na semana retrasada, quando o asfalto e parte da calçada cederam. No entanto, até agora, a prefeitura nada fez – apesar dos apelos de moradores.

Com a inércia, a própria vizinhança resolveu despejar entulho para calçar a cratera e amenizar os riscos.

Questionado sobre o problema, a prefeitura não se manifestou até o fechamento desta edição.

 

Governistas culpam baixa arrecadação

 

Para vereadores da base aliada do governo Mamoru Nakashima (PSDB), só há uma culpada pelas ruas esburacadas: a arrecadação municipal. Segundo eles, faltaram recursos para os reparos asfálticos. O dinheiro foi investido, prioritariamente, na Saúde.

“Sem recursos não tem como tapar buraco, infelizmente. Estamos conseguindo dar conta, mais ou menos, da Saúde municipal. Os buracos não são prioridade nesse momento”, disse João Batista Pereira de Souza (PSDB), o Pelé da Sucata, que lembra que estão previstos recursos dos governos estadual e federal para o ano que vem. “Por hora, apenas os corredores de ônibus estão recebendo melhorias no asfalto”.

Com praticamente as mesmas palavras, David Neto (PPS) atribuiu ao momento econômico do município à manutenção precária das ruas. Mas mostrou-se otimista com relação ao próximo ano. “A prefeitura disse que em 2018 vai zerar essa demanda. Nós vamos fiscalizar”, prometeu.




One thought on “Pedidos de tapa buraco triplicam em Itaquá nos últimos dois anos

  1. Saulo Araujo

    É serio isso ou eu posso rir? A mesma turma que impediu o Prefeito de ser investigado vai fiscalizar suas obras? HAHAHAHAHAHAHAHAHA! A única coisa coisa que essa câmara fiscaliza são seus holeriths mensais, pagos de certa forma, com a baixa arrecadação do município. Bem que o Pelé da Sucata, o David Neto e os outros 17 pesos orçamentários do município, poderiam doar o salário deles e realizar o conserto de algumas ruas, afinal, não é tudo dinheiro público? E uma rua sem buracos é mais importante do que a boa vida de 19 incompetentes, vocês não acham? Vereador bom é aquele que abre mão do salário 12 vezes maior que a da população geral em prol dessa população… HAHAHAHAHAHAHAHA!!!!!!!!!!

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *