Política rende ao prefeito de Caraguá e seu irmão R$ 805 mil em 30 meses

Reprovados: População critica Aguilar Junior e vereador Tato Aguilar, irmão do prefeito

Por Gabriel Dias / Foto: Divulgação

O Leia visitou áreas carentes de Caraguatatuba para saber o que a população tem a dizer sobre a realidade dos bairros. Sem poupar críticas à gestão do prefeito Aguilar Junior (MDB) e também ao seu irmão, o vereador Renato Aguilar, o Tato Aguilar (PSD), grande parte dos moradores do Jardim Santa Rosa – uma das zonas carentes da cidade -, se mostra descontente com o atual governo, que na opinião de muitos é “inútil”. Para eles, seja o prefeito ou vereador, ambos deixaram os anseios da comunidade de lado.

Camila Cristina, de 29 anos, ao conversar com a reportagem fica irritada ao saber que em 30 meses de governo os irmãos Aguilar já ganharam, juntos, com a política da cidade, ao menos R$ 805 mil em salários. A somatória foi adquirida com base no Portal da Transparência da Prefeitura de Caraguatatuba e Câmara Municipal de Caraguatatuba – a somatória equivale aos salários brutos, sem descontos.

Quando questionados sobre o que fariam para o bairro com este dinheiro, Ivan Alves, Camila Cristina, Maria da Glória, e mais tantos outros moradores disseram que construiriam postos de saúde, creches, área de lazer, e principalmente, fariam a pavimentação das ruas do bairro que ainda são de terra e areia.

“Estamos cansados de viver no esquecimento. Nossas crianças para irem à escola precisam andar em meio à lama e ao esgoto a céu aberto. Não tem calçada, não tem segurança e muito menos iluminação. Vivemos tempos difíceis por aqui”, reclama Camila.

Maria da Glória, uma comerciante local, também aproveita o momento para reclamar da falta de políticas públicas e cita os interesses do prefeito e vereadores. “Eles só vêm aqui para pedir votos, tomam café conosco e fingem ser nossos amigos, mas quando a politicagem acaba, todos viram as costas para quem mais precisa. E é o que aconteceu”, reclama.

Ivan é um jovem de 18 anos, e igual a muitos outros da sua idade sente o preconceito de viver numa comunidade carente. “Por vivermos nessa realidade, os políticos acham que somos ‘bicho’, eles não olham para nós como seres humanos, e tanto faz se passamos dificuldades ou não. Queremos apenas que eles venham no bairro, nos escutem e façam alguma coisa por nós, por que a maioria dos votos sai daqui”, completa.

População se une para diminuir salários

Para evitar que Caraguatatuba entre em um “colapso” econômico, Lucas Miranda, de 27 anos, propôs um abaixo assinado com objetivo de diminuir os salários de vereadores, prefeito, vice-prefeito e secretários. Segundo ele, a proposta visa enxugar em 30% o que um agente político ganha de salário da municipalidade. Para ele, tal manobra salvaria, futuramente, o município de uma crise financeira.

Segundo Miranda, tal iniciativa geraria aos cofres públicos uma economia de R$122,3 mil ao mês. Já em valores atualizados, anualmente a cidade teria contenção de gastos no entorno de R$ 1,4 milhão.

Foram arrecadadas cerca de 1,5 mil assinaturas, mas para que o projeto entre em pauta nas sessões de Câmara Municipal é preciso que o número de pessoas adeptas à redução salarial dos agentes políticos seja de 5 mil assinaturas.

Para fazer parte do projeto as pessoas podem procurar o site change.org, ou digitar o link – http://chng.it/rDTQcbc5yK/

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.