Praça de lazer em Guararema está “pela hora da morte”

A falta de serviços de manutenção nos equipamentos é visível, o que leva situação de perigo aos usuários 

 

Por Aristides Barros  / Fotos: Bruno Arib

 

A área de lazer ‘Tereza de Paula Caraça Brito’, em Guararema, necessita de serviços de manutenção que precisam ser feitos com urgência, até para que não se repita a tragédia ocorrida no final do ano passado, em Poá, onde uma criança de 9 anos de idade morreu quando brincava em um balanço cujo tronco caiu sobre ela. Na tragédia foi constatado que a madeira superior que sustentava o brinquedo não estava fixada como deveria. A Prefeitura de Poá é a responsável pela área.

Uma situação de risco é vista a olhos nus na área de lazer guararemense, cujos aparelhos apresentam nítida deterioração. Percebendo o perigo, as pessoas entrevistadas pela reportagem praticamente fizeram refrão pedindo que a administração municipal faça a manutenção do local.

Moradora mostra fios expostos

A dona de casa Fátima Aparecida Gomes Carvalho, de 55 anos, elencou. “As lixeiras, o gira-gira, um balanço e um andador estão quebrados. Já faz muito tempo que está assim. Os aparelhos de ginástica também estão rangendo, e as pessoas nem usam porque fazem muito barulho”, disse.

Fátima completa. “A cidade é turística e tem de estar empenhada em arrumar as coisas, ficar organizada. Além do que precisa arrumar porque o nosso dinheiro é que foi utilizado para fazer isso, por meio dos impostos que nós pagamos”, pontua.

Outro risco verificado é que em alguns pontos a fiação elétrica térrea está exposta, e o perigo de alguém sofrer uma descarga elétrica é iminente. Devido ser um período férias escolares a movimentação de crianças na área é maior.

 

Pista de skate está esburacada

ESPORTE – O estudante Rafael Alves, 18, fala com certa precisão há quanto tempo que a prefeitura não dá atenção à pista de skate também localizada na área de lazer. “Há uns sete meses a situação estava menos pior, dava para andar. Hoje é muito difícil, está toda esburacada”, conta. “À noite era ponto de encontro do pessoal, a gente vinha para andar e havia muita diversão, agora é difícil ver o pessoal por aqui”, lamenta. “Já faz mais de um ano que tudo está danificado, e ninguém da prefeitura aparece para arrumar”, finaliza.

O comerciante Gean Morais Alves, 25 anos, que é um dos líderes da AGSKT (Associação Guararemense de Skate), afirma que além da reforma geral da pista de skate também deve ser colocado bebedouro e a higienização da caixa d’água do local. “A gente precisa da nossa pista para os nossos campeonatos”, pede. A Associação também é comandada por Danilo Santos, 25, e Lidiane Santos, 28. Cerca de 50 skatistas de Guararema participam da AGSKT.        

 

MORTE – Na ocorrência em Poá, que vitimou mortalmente a menina de nove anos, segundo o boletim de ocorrência, o tronco onde estavam parafusadas as correntes caiu, atingindo-a na cabeça. A criança foi socorrida ao hospital da cidade, mas não resistiu ao ferimento e faleceu.

Indagado pela reportagem acerca dos problemas da área de lazer, o prefeito de Guararema Adriano Leite (PR) disse que enviaria no sábado (28) uma equipe ao local para ver a situação e partir para as providências necessárias. O prefeito guararemense conversou com a GAZETA na sexta-feira (27), em Salesópolis, quando participava da solenidade de assinatura do edital para a pavimentação da Estrada do Serrote, que liga Salesópolis à Guararema.

 

ATRASADOS – Passados cinco dias do envio de perguntas à Prefeitura de Guararema sobre o que a administração municipal – e até mesmo das repostas conseguidas junto ao prefeito Adriano Leite – a assessoria de Imprensa da prefeitura respondeu na quarta-feira (1) que uma equipe esteve no local na segunda-feira (30) e iniciou os trabalhos de manutenção com pintura, jardinagem, troca de lixeiras. A Prefeitura também está dando andamento nas tratativas para manutenção do playground. Não houve respostas acerca da “possível” reforma da pista de skate.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.