Prefeitura de Itaquá terceiriza elaboração de edital para transporte público

Com decisão, gestão Mamoru Nakashima adia ainda mais a contratação de uma nova empresa de transportes

 

Por Lailson Nascimento / Foto: Bruno Arib

 

A seis dias do término da concessão do transporte público municipal, cuja vigência vai até a próxima segunda-feira (17), a Prefeitura de Itaquaquecetuba tornou público que ainda não possui estudo consolidado para a contratação de uma nova empresa para o serviço.

A constatação vem de um Edital de Chamamento Público divulgado no Diário Oficial de ontem (11), onde o governo de Mamoru Nakashima (sem partido) anuncia a contratação de estudos técnicos que auxiliem a administração municipal na estruturação de projeto a ser utilizado na futura licitação para o serviço de transporte.

Segundo o edital, de responsabilidade do Conselho Gestor de Parceria-Público-Privada da prefeitura, os interessados (inclusive pessoas físicas) em executar os projetos têm até o dia 11 de janeiro de 2019 para protocolizar a documentação exigida na primeira fase do processo licitatório, destinada à qualificação dos proponentes.

Qualificados no chamamento, os autorizados pelo Conselho Gestor terão a responsabilidade de levantar, num prazo de 60 dias, as informações técnico-operacionais, jurídicas e econômico-financeiras solicitadas no edital. Dentre os dados, a prefeitura quer ter acesso à estimativa de demanda, características das linhas atuais, sugestão de novos itinerários, dimensionamento da frota necessária, entre outras necessidades.

O chamamento também informa que o conteúdo deverá “subsidiar a administração pública no melhor modelo para a prestação do serviço público de transporte coletivo” da cidade.
A gestão Mamoru estima gastar até R$ 2 milhões com o estudo contratado.

 

ESPERA SEM FIM – Críticas da população ao serviço somadas ao término da atual concessão têm pressionado o governo a lançar edital para a nova concessão. O presente Chamamento Público, entretanto, promete aumentar a espera pela futura licitação.

Se antes a Prefeitura de Itaquá informava que estava elaborando os estudos necessários para a definição do futuro do serviço, agora, a administração municipal deixa claro que sequer tem conhecimento aprofundado da operação do transporte na cidade.

Devido ao prazo estipulado de 60 dias para a elaboração dos estudos, a nova concessão deve ficar somente para o meio do ano de 2019.

 

O QUE DIZ A PREFEITURA – A GAZETA solicitou entrevista com o secretário municipal de Transportes, Rosinaldo Castro de Sousa, mas o chefe da Pasta disse que vai se manifestar por meio da assessoria de imprensa.

O jornal quer saber, dentre outras coisas, se já há ao menos uma definição de data quanto à futura licitação, além de detalhar os motivos que levaram a administração municipal a terceirizar a elaboração do edital do serviço.

A matéria será atualizada assim que houver retorno por parte da administração municipal.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *