Prefeitura lança obra de UBS sem terminar unidade do Suzanópolis

Faltou público, mas prefeito foi aplaudido por seus convidados; Mesmo assim, foi o centro de acusações

Por Gabriel Dias / Foto: Bruno Arib 

Foi em meio a lama que o prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi (PR), inaugurou na manhã de sexta-feira (15), no bairro Monte Cristo, o espaço que futuramente acolherá o prédio de uma UBS (Unidade Básica de Saúde) para os moradores das proximidades.

Mesmo com garoa, os convidados da gestão não deixaram de comparecer. Nas palavras de Luis Cláudio Rocha Guillaumon, o secretário da Saúde da gestão Ashiuchi, o prefeito fez em dois anos o que ninguém conseguiu fazer em dez.

Para ele, o momento da abertura dos trabalhos para a realização no novo prédio da UBS é importante para a cidade. “Foram cinco milhões e 500 mil procedimentos realizados em Suzano em 2018 a nível de Saúde”, numerou o secretário.

DEIXA EU FALAR – Ao final da cerimônia de inauguração do novo espaço, ainda no palanque, estavam todas as autoridades municipais – inclusive Ashiuchi – quando Doralice Oliveira, de 65 anos, moradora do bairro, subiu e pediu para falar alguns minutos.

Aparentemente nervosa, Doralice disse aos gritos que tudo não se passa de uma mentira. Sem que fosse disponibilizado microfone, a moradora argumentou que entra prefeito e sai prefeito e nada muda na cidade. “Represento o povo e não elogio o prefeito. Tenho que falar a verdade, mas como vocês viram, eles não deixam eu falar.”

Enquanto Doralice tentava se manifestar, os cerimonialistas da prefeitura aumentaram a música de fundo do evento para evitar constrangimentos. Mesmo assim, ela ainda tentava falar mais alto, no entanto, os convidados do evento viraram as costas e passaram a fazer selfies, ignorando completamente Doralice e Maria Lucia que, segundo elas, estavam como representantes do povo.

À GAZETA, Doralice e Maria Lucia disseram que ainda falta muita coisa Na cidade. Na opinião de ambas, o que foi dito no palanque em relação ao prefeito Ashiuchi ter feito em dois anos o que ninguém conseguiu fazer em dez, também é mentira. “Cadê o que ele fez, me mostra? Onde está? ”, questionam.

SUZANÓPOLIS – No bairro, que também espera a conclusão da construção de uma UBS, o morador Ronaldo Assis, 48, disse que a obra do prédio está parada há oito anos.

A previsão de entrega do espaço, segundo a placa que fica de frente com a obra, era para ser em 2018, no entanto, segundo Ronaldo, pode se estender por mais alguns anos.

Ao jornal a Prefeitura de Suzano, por nota, já alegou que a obra não está atrasada e que “a construção teve início na gestão anterior, em dezembro de 2013.” Ainda segundo a nota, a prefeitura já repassou à empresa VSS Empreendimentos e Construções LTDA aproximadamente R$ 882 mil para que a obra permanecesse em andamento. O valor da construção chegou a quase R$ 1,3 milhões.

Eu não sou bunda mole, diz Ashiuchi

Antes que a cerimônia de inauguração do novo espaço da UBS (Unidade Básica de Saúde) do Monte Cristo, em Suzano, acontecesse, a reportagem da GAZETA encontrou o prefeito Rodrigo Ashiuchi (PR) na rua em frente ao evento rodeado por seguranças, e mesmo assim, tentou conversar com o gestor sobre os inúmeros problemas que a própria população da cidade e bairros distantes do centro reclamam. No entanto, o republicano disse que não conversaria com o jornal.

Demonstrando irritação com a reportagem, ele disse [em áudio gravado pela equipe] que os jornalistas podem fazer o que quiserem na cidade. “Pode filmar, pode bater palma [referência à ‘festa de aniversário’ que os moradores do Jardim Suzanópolis fizeram para a valeta do bairro], o que quiser”, sugeriu.

Apesar da tentativa de “permissão” para o trabalho da imprensa, Ashiuchi demonstrou que sua revolta é com o departamento de distribuição do jornal impresso. “Vocês distribuíram os jornais próximo ao meu colégio, e isso é falta de respeito. Deste jeito vocês extrapolam e caminham errado comigo. Isso já é canalhice”, retrucou o gestor.

Ele citou seu pai, que estaria doente, e sua irmã, que estaria grávida, e reforçou a ameaça de que, se o departamento de distribuição entregar os jornais impressos novamente nas proximidades de seu colégio “a conversa será outra.”

Ainda em relação ao fato da distribuição do jornal nas proximidades do colégio de sua família, Ashiuchi diz que enviou as imagens gravadas deste episódio para a Polícia.

O prefeito também chega a afirmar que não é “bunda mole”. Finalmente questionado se aceitaria dar entrevista em relação à série de reportagens da GAZETA, como denúncia de fralde em licitação para manutenção da frota de veículos municipais, o mesmo desconversou, recusando a entrevista.