Rua do Mogilar afunda e moradores relatam prejuízos em imóveis

Desnível da Rua Judith de Oliveira Marques com a entrada das casas mostra que local está afundando; moradores temem
Por Gabriel Dias / Fotos: Bruno Arib

Quem mora em Mogi das Cruzes nem sequer imagina que um lado da cidade está afundando e que tem muita gente preocupada com o pior, como por exemplo, a residência cair. Euvira do Nascimento tem 79 anos, e 60 deles são morando na rua Judith de Oliveira Marques, no bairro Mogilar, próximo ao Centro de Mogi, onde estão as reclamações.

Em sua casa, Dona Euvira aponta para as vigas de madeira que serviam de suporte para o telhado do quintal e que se afastaram da parede com a movimentação de terra. É possível ver também a parede que divide sua residência da calçada se afastando uma da outra. Ela conta que tem medo, e que precisou investir tempo e dinheiro para ao menos solucionar parcialmente o contratempo que enfrenta há anos.

Para resolver parte do problema, ou ao menos se livrar de parte do perigo, a senhora retirou as telhas de seu quintal e pretende, com o tempo, ter um diagnóstico do que poderá fazer para cobrir a área novamente. “Chamei um conhecido da família que entende dessas coisas. Preciso saber o que vou ter que fazer para cobrir meu quintal de novo”, ressalta.

O medo dela é também o de alguns vizinhos que temem o pior. Partes da parede de sua lavandeira também registraram rachaduras e certa movimentação. A rua de pedra, ainda com requintes do tempo antigo, revela notoriamente que o acesso está afundando. Dona Euvira diz que no local, muito antigamente, passava uma valeta, e por isso o chão está cedendo.

Quando questionada sobre o que já fez para alertar o poder público sobre o fato, Euvira é taxativa e diz que procurou a prefeitura na época, no entanto, a única resposta que teve foi que a prefeitura não tinha verba suficiente para solucionar o problema. “Eles falaram isso por que sabiam que teriam que mexer na rua toda”, afirma Euvira.

O que diz a Prefeitura

Novamente questionada, a gestão do prefeito Marcus Melo (PSDB) diz, em nota ao jornal, que “a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos fará uma vistoria no local para verificar o problema e as intervenções necessárias para resolução do problema.”

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.