Sem poupar críticas à Diretoria Regional de Ensino, Câmara de Suzano aprova alteração na Lei do Passe Livre

GAZETA alertou, em reportagem publicada na última semana, que a proposta do Estado é repassar o custo da passagem de ônibus de quase 1,5 mil estudantes para o município
Da Redação / Foto: Vivian Turcato/Divulgação

Para evitar que o governo estadual repasse aos cofres municipais a responsabilidade pelo pagamento do transporte escolar de alunos com idade a partir de 12 anos, a Câmara de Suzano aprovou na sessão ordinária de terça-feira (2), sem poupar críticas à Diretoria Regional de Ensino, uma alteração na Lei do Passe Livre.

O projeto de lei complementar 11/2019 é de autoria da Comissão de Trânsito, Transporte e Mobilidade Urbana da Casa de Leis, para que a propositura seja votada em caráter de urgência.

A comissão é composta pelos parlamentares José Alves Pinheiro Neto (PDT), o Netinho do Sindicato (presidente); Denis Claudio da Silva (DEM), o filho do Pedrinho do Mercado (relator); e Marcos Antonio dos Santos (PTB), o Maizena Dunga Vans.

Entre as críticas, os vereadores fizeram questão de ressaltar a falta de respeito do governo estadual com o Legislativo, o fato de profissionais da chefia da Diretoria Regional de Ensino não serem de Suzano e por isso, segundo eles, não conheceram a cidade. Além disso, os parlamentares falaram ainda sobre a questão da segurança dos alunos que correm o risco de terem que usar o transporte público para irem à escola, sem qualquer tipo de segurança ou supervisão.

OPINIÃO – O vereador Denis criticou, mais uma vez, a Diretoria Regional de Ensino pela decisão de retirar o transporte escolar de alunos com a partir de 12 anos. “Eles tentaram dar um ‘passa moleque’ nessa Casa”. “Volto a perguntar: quanto custa a vida de uma criança?”, questionou.

Para o vereador Maizena Dunga Vans, a questão é que, agora, a Diretoria Regional de Ensino é coordenada por “forasteiros”. “Eles não conhecem Suzano. É fácil falar: prefeito, segura essa bomba aí”, disse. “É lamentável. Simplesmente eles não conhecem Suzano”, afirmou o vereador André Marcos de Abreu (DEM), o Pacola. “Não é apenas uma questão de transporte, mas também geográfica. Não terá ônibus e van para toda criança”, alertou

Netinho do Sindicato. “Realmente eles não sabem o que estão fazendo. Não sabem nem como vieram parar em Suzano. São pessoas sem qualidade, sem qualificação e sem qualquer noção de administração educacional”, criticou o vereador Leandro Alves de Faria (PL), o Leandrinho, se referindo sobre o novo dirigente regional de ensino.  “Vamos mostrar para estes forasteiros que exigimos respeito com a nossa população”, adiantou a presidente do Legislativo, Gerice Lione (PL), a esposa do Prefeito da Academia. “Eles (equipe da Diretoria Regional de Ensino) esqueceram que temos o poder de decisão e de reivindicar”, alertou o vereador Jaime Siunte (PTB).

Ressaltando a questão da segurança dos alunos, o vereador Edirlei Junio Reis (PSD), o professor Edirlei, falou que o Estado quer “transferir a responsabilidade de forma imatura e precipitada ao município”. “Quem vai pagar essa conta são as crianças que vão se sujeitar ao risco”, discursou. É a mesma opinião do parlamentar Alceu Matias Cardoso (PRB), o pastor Alceu Cardoso. “Temos visto acontecer abusos e falta de respeito no transporte coletivo. Certamente isso aconteceria também colocando as crianças a mercê disso”, comentou. “Temos que responsabilizar o governo estadual”, opinou o vereador Antonio Rafael Morgado (PDT), o professor Toninho Morgado.

EX- DIRIGENTE – O vereador Joaquim Rosa (PR) argumentou que a ex-dirigente de ensino, Vera Lúcia Miranda, foi exonerada do cargo por não ter aceitado esta decisão. “Ela sim conhecia a nossa cidade”, afirmou. 

FISCALIZAÇÃO – Ainda na sessão extraordinária, o vereador Denis anunciou que enviará amanhã à Comissão de Trânsito, Transporte e Mobilidade Urbana um ofício para que o grupo fiscalize as áreas externas das escolas estaduais da cidade.