Sessão que investiga denúncia em Salesópolis será aberta ao público

Cidade deve parar para acompanhar tema cujo final promete surpresas nada agradáveis

 

Por Aristides Barros / Foto: Bruno Arib

 

Os salesopolenses poderão acompanhar na Câmara Municipal as audiências da CEI (Comissão Especial de Investigação) que apura denúncias de irregularidades nos cursos do Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural). A primeira sessão aberta ao público está prevista para acontecer na próxima quarta-feira (24), a partir das 14 horas.

Um dos alvos da Comissão é a Prefeitura de Salesópolis, suspeita de desvio de dinheiro e falsificação de documentos durante um curso realizado no ano passado pelo Senar. A mesma denúncia também foi encaminhada ao MP-SP (Ministério Público de São Paulo).

O novo ingrediente do caso é que o outro alvo da Comissão pode ser o próprio autor da denúncia, o vereador Rodolfo Marcondes (PDT). Sobre ele pesa a acusação de, mesmo não participando de um Curso de Manuseio de Bananas, também realizado pelo Senar, teve o seu nome “aparecendo” com 100% de presença no evento.

O parlamentar se defende dizendo que se ausentou do curso por um determinado período, o que não teria comprometido a sua diplomação, visto que ele cumpriu as determinações exigidas no evento.

A CEI é presidida pelo vereador Nei do Zé Anísio (DEM), tem como relator Mineiro do Restaurante (PPS) e membro Edilson Santos (PSB). Os trabalhos têm prazo de conclusão de 90 dias, com direito à prorrogação cujo tempo não foi informado pelo presidente da CEI.

 

NADA O QUE TEMER – O prefeito de Salesópolis, Vanderlon Gomes (PR), disse que é totalmente favorável que as sessões da CEI sejam livres ao público porque evita o surgimento de comentários negativos. “A nossa administração é transparente e não temos nada o que esconder. A verdade vai vir à tona”, disse.

O jornal falou por telefone com o presidente da Câmara, o vereador Nilson Satolu (PSDB), que disse que os trabalhos abertos à população evidenciam a transparência da Câmara. Ele entende que os vereadores não precisam “fazer segredo” do que precisa ser mostrado ao povo.

O presidente da CEI, que está no curso de seu sexto mandato parlamentar, segue o discurso. Nei do Zé Anísio destacou que os trabalhos do Legislativo sempre são abertos ao público. “A Comissão já esteve reunida por seis vezes para colher documentos acerca do caso, e agora vêm as sessões onde serão ouvidas as pessoas citadas na denúncia”, revelou.

 

ENTENDA O CASO – Em fevereiro deste ano, Rodolfo acusou a prefeitura de desviar verbas públicas e falsificar documentos em um curso realizado no fim do ano passado. O evento sobre agronegócio rural foi uma parceria da administração municipal com o Senar.

Na sequência veio a denúncia contra o vereador Rodolfo dando conta de que apesar de ele não participar do Curso de Manejo de Bananas, realizado nos dias 1, 2 e 3 de dezembro de 2017, seu nome estava na lista com presença de 100%. O curso foi, no Sítio Juca do Arroz.

Conforme a denúncia, no dia 02 de dezembro o nome do vereador constava na lista de presença. Mas, nessa data ele estava em Pindamonhangaba. Alguns participantes confirmaram que Rodolfo não esteve em nenhum dos três dias de realização do evento.

Outro ponto que chama a atenção é relacionado ao fato do curso ter sido realizado em uma propriedade que pertenceria à família de Rodolfo. 




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *