10 filmes que mostram a importância do Jornalismo

Por Eduardo Micheletto / Foto: Divulgação

O jornalismo passa por um momento delicado. Veículos de imprensa tradicionais enfrentam uma crise de credibilidade e profissionais da área sofrem uma campanha de perseguição e difamação nas redes sociais. Em momentos como esse é fundamental mostrar a importância da profissão.

Para o jornalista e membro da APJor (Associação Profissão Jornalista), Celso Bacarji, “os filmes que tem o jornalismo como temática, especialmente aqueles que são baseados em fatos reais, têm um papel muito importante na formação de uma imagem institucional do jornalismo diante da sociedade”.  

Comemorado no último dia 7 de abril, o Dia do Jornalista foi criado pela ABI (Associação Brasileira de Imprensa) como uma homenagem a Giovanni Battista Libero Badaró, importante personalidade na luta pelo fim da monarquia portuguesa e Independência do Brasil.

A data homenageia o trabalho dos profissionais da mídia, responsáveis por apurar fatos e levar as informações sobre os acontecimentos locais, regionais, nacionais e internacionais para as pessoas, de maneira imparcial e ética. Seja na rádio, na televisão ou nos jornais impressos, o jornalista deve sempre trabalhar tendo como base a imparcialidade e fontes de informação confiáveis.

“O jornalismo é na verdade um terreno fértil para o cinema, mas somente nas grandes histórias, aquelas que são manchetes e que muitas vezes se prolongam por dias ou meses, vão parar nas telonas. E quem entra no jornalismo não pode esperar que terá sempre uma dessas pautas nas mãos”, finaliza Celso.

Confira a lista de 10 filmes que mostram a importância do Jornalismo

The Panama Papers (2017)

O filme conta a histórica real dos dois jornalistas alemães que conseguiram revelar manobras de evasão de divisas após terem acesso a milhões de documentos da Mossack Fonseca, uma sociedade de advogados panamenha que administra empresas offshore. O resultado dessa investigação mostrou que grandes corporações, artistas, políticos e personalidades do mundo todo usavam os serviços da Mossack Fonseca.

Este filme, que está disponível somente no Netflix, é muito importante para quem deseja entrar na profissão porque mostra o uso do big data no Jornalismo. Atualmente, as redações do mundo todo estão investindo em tecnologia para análise e cruzamento de dados.

Cidadão Kane (1941)

Inspirado na vida do milionário William Randolph Hearst, magnata estadunidense dono de uma grande rede de jornais, Cidadão Kane é narrado através de memórias pesquisadas por um jornalista. Apesar de se pautar na história de Hearst, no filme o personagem principal se chama Charles Foster Kane, que vai de garoto pobre do interior a dono de um império de jornalismo e publicidade.

No enredo do filme, Jerry Thompson é o jornalista responsável por investigar a vida de Kane, após sua morte, entrevistando as pessoas mais próximas a ele. Além de contar a história do protagonista, Thompson tem a missão de descobrir o significado de sua última palavra em vida: Rosebud.

Lançado em 1941, conquistou o Oscar de Melhor Roteiro Original no ano seguinte. Apesar do prêmio, o filme só alcançou sucesso de público ao ser relançado em 1956.

Boa Noite e Boa Sorte (2006)

Dirigido por George Clooney, Boa Noite e Boa Sorte é ambientado na década de 1950 e narra as denúncias de um âncora de TV contra um Senador da República que caçava comunistas. Diante do confronto com o político, Edward R. Morrow, que tem um programa diário na TV aberta, trava uma incansável batalha pela liberdade de expressão.

As reportagens exibidas pelo jornalista e sua equipe de repórteres põe em xeque as táticas usadas pelo governo para esfriar o movimento comunista que polarizou o mundo ao final da Segunda Guerra Mundial, se contrapondo ao capitalismo. Os debates e denúncias terminam na queda de Joseph McCarthy, principal alvo de Edward Morrow.

Premiado no Festival de Veneza em 2005, Boa Noite e Boa Sorte também foi indicado ao Oscar 2006 nas categorias de melhor filme e melhor roteiro, entre outras. Apesar de ter sido produzido na era da TV em cores, o filme opta pela estética do preto e branco, se aproximando da realidade em que se passa.

Zodíaco (2007)

Zodíaco é ambientado nos Estados Unidos dos anos 60 e 70. Um serial killer envia cartas encriptografadas para três jornais assumindo assassinatos e ameaçando cometer outros se essas cartas não fossem publicadas. O cartunista de um dos jornais (Jake Gyllenhaal) decifra as cartas e resolve investigar a identidade do assassino, ajudado pelo repórter policial (Robert Downey Jr.).

O filme mostra os riscos e desafios do jornalismo investigativo, além da responsabilidade da imprensa ao divulgar informações que podem causar pânico e colocar pessoas em perigo.

The Post – A Guerra Secreta (2017)

Indicado ao Oscar 2018 de melhor filme, com um elenco repleto de estrelas como Meryl Streep e Tom Hanks, The Post – A Guerra Secreta relata o dilema real que viveu o jornal The Washington Post no início da década de 70.

O jornal estava prestes a entrar na bolsa de valores, para atrair investidores e ganhar fôlego financeiro, quando vazaram dados secretos sobre a Guerra do Vietnã, nos quais mostravam que o governo americano havia mentido para a população. A divulgação desses dados colocaria o jornal nos tribunais e os donos poderiam ser presos, o que causaria um impacto financeiro negativo.

O filme é importante para o Jornalismo porque mostra o conflito de interesse entre os donos de jornais, editores e jornalistas, que têm o dever de informar a população, mas ao mesmo tempo dependem dos recursos financeiros.

Todos os Homens do Presidente (1976)

O filme, de cunho histórico, se passa nos Estados Unidos no início da década de 70 e relata a investigação jornalística que culminou na renúncia do então presidente Richard Nixon. Pautado na realidade, o longa exibe cenas históricas combinadas com aquelas que foram gravadas por atores.

O roteiro destaca a história de Robert Woodward e Carl Bernstein, também jornalistas do Washington Post, que se aventuram em uma série de pesquisas sobre a invasão no edifício Watergate, meses antes da reeleição de Nixon. No prédio funcionava o principal comitê de campanha dos Democratas, que tinham George McGovern como candidato a presidente. Logo suspeitou-se de espionagem política por parte dos republicanos.

Mesmo com a reeleição, os jornalistas se dedicaram a investigar o caso e descobriram o envolvimento do presidente, do FBI e da CIA no caso. O filme narra especialmente a saga desses dois profissionais que acabam se deparando com uma rede de espionagem e lavagem de dinheiro.

Frost/Nixon (2008)

A história do filme acontece três anos depois da renúncia de Richard Nixon. O apresentador britânico David Frost tem a ideia de entrevistar Nixon e vender a entrevista para os telejornais. Nixon aceita ser entrevistado depois de receber 600 mil dólares e também porque acredita ser uma oportunidade de limpar sua imagem e retornar à política, já que ele não enxergava Frost como um “jornalista perigoso”.

O filme Frost/Nixon mostra a “guerra” oculta entre entrevistado e entrevistador e a importância do jornalista ser bem informado e habilidoso na hora de formular suas perguntas para conseguir a notícia.

O Abutre (2014)

Também estrelado por Jake Gyllenhaal, O Abutre conta a história de um jovem que entra no mercado independente do jornalismo policial, após não conseguir um emprego formal. Ele e seu assistente começam a filmar crimes e acidentes de trânsito para vender para os jornais televisivos. Com o tempo, ele percebe que pode ganhar mais dinheiro “fabricando” as notícias.

O Abutre nos faz refletir sobre o sensacionalismo dos telejornais policiais, tão comuns no Brasil, e o interesse do ser humano em acontecimentos trágicos e mórbidos.

Spotlight: Segredos Revelados (2015)

Vencedor do Óscar 2016 de melhor filme, Spotlight narra a investigação que a equipe do jornal The Boston Globe fez sobre os casos de pedofilia e abuso sexual cometidos por membros da arquidiocese católica de Boston. Essa investigação foi realizada no começo dos anos 2000 e rendeu à equipe do jornal o Prémio Pulitzer em 2003.

Um fato importante do filme é que ele mostra que às vezes o jornalista precisa deixar de lado suas crenças e ideologias para divulgar a verdade. Também relata a influência da Igreja na imprensa e em outros setores, como o jurídico e o político.

Tropa de Elite 2: o Inimigo agora é Outro (2010)

Apesar de não tratar especificamente sobre jornalismo, o filme Tropa de Elite 2 ilustra a difícil realidade da qual passam os jornalistas brasileiros. O Brasil é um dos países mais perigosos para a profissão, segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

No filme, uma repórter e um fotógrafo de um jornal são assassinados pela milícia após descobrirem a relação dela com o governador do Rio de Janeiro. O jornal não se preocupa em denunciar o assassinato, pois depende da verba do governo para funcionar. No Brasil, os maiores anunciantes dos jornais são os governos municipais, estaduais e federais.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*