Agora é hora de Itaquá pedir um novo transporte

Por Lucas Landin

Itaquaquecetuba está diante de uma oportunidade única e irrepetível em seus quase 70 anos de emancipação política. Podemos dar um salto no desenvolvimento do município, tendo o transporte público como âncora.

Não entendeu? Calma, eu explico. Ano passado, finalmente nos livramos do contrato firmado com o grupo Júlio Simões, e hoje, o transporte de ônibus na cidade opera apenas sob uma concessão temporária. Uma nova licitação está em fase de gestação, e é ela que deverá nortear como será o transporte na cidade pelos próximos 20 ou 30 anos.

Portanto, é a hora da cidade influenciar nesta licitação. Não podemos continuar com esse modelo injusto de transporte que só beneficia as empresas, que lucram em cima de seu direito de ir e vir. É esse modelo que tira seu emprego, quando numa entrevista, você é descartado porque o empregador não quer te pagar duas conduções; que tira o seu estudo, quando você é aprovado numa universidade, mas não tem como pagar o ônibus; que tira suas oportunidades, pois impede que novas empresas se instalem na cidade, já que a tarifa cara é uma carga pesada demais.

Nós do movimento “Bora, Itaquá!” estamos propondo um novo modelo, onde o transporte sirva à população em primeiro lugar, com tarifa mais barata, passe livre estudantil, ônibus confortáveis e integração com a CPTM. Com um novo transporte, você terá mais dinheiro sobrando para gastar em nosso comércio, as empresas terão mais interesse em se instalar em Itaquá, e suas oportunidades vão crescer como nunca.

E sim, é possível. Na próxima sessão da Câmara, em 8 de agosto, levaremos esse novo modelo em formato de projeto de Lei de iniciativa popular. Esperamos o apoio de toda a população, e pedimos aos vereadores, sobretudo aqueles de oposição, que entrem nessa luta. Uma empresa de ônibus não é mais forte que uma cidade inteira.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*