Antigo Fórum de Poá ‘vira motel e ponto de drogas’, dizem moradores

Apesar da autorização do TJ-SP, prédio abandonado segue ‘em pé’; Gian Lopes fica em silêncio

Por Gabriel Dias / Foto: Bruno Arib

O antigo prédio que antes era o Fórum de Poá e que já reuniu amontoados de papéis e processos agora abriga inúmeros moradores de rua, e segundo testemunhas, se tornou um ponto de consumo de drogas. O local notoriamente abandonado fica na Rua Fernando Pinheiro Franco, no Centro da cidade.

Quem passa na região nota a falta de limpeza. Onde um dia foi estacionamento, agora é mato. As laterais do prédio também ostentam mato alto e o perigo de animais peçonhentos no local. Já as grades que um dia serviram de proteção para coibir a invasão de pessoas no terreno foram arrancadas e agora ficam escondidas nos cantos do prédio ou no meio do mato.

O teto na parte mais baixa do prédio está com sua estrutura ruindo. Parte do que supostamente é gesso está se descolando e pendurada. As paredes estão pichadas, e o cheiro fétido de urina e fezes no local é forte.

Na parte superior do prédio, onde eram as salas do Fórum, agora servem de ‘quartos’. A reportagem da GAZETA constatou a presença de pessoas na parte de cima, no entanto, por questões de segurança, não adentrou a parte superior do prédio.

Claudio Rogério, 46 anos, olha carros na Avenida Antônio Massa, em frente ao prédio abandonado. Ele conta que por muitas vezes já viu dependentes químicos na parte de dentro do prédio, e também confirmou que há moradores em situação de rua habitando o local. Ele ainda afirmou que o espaço virou ponto de encontro para casais.

“Na parte de dentro há usuários de drogas, só ir lá [prédio] que você vai encontrar várias camisinhas espalhadas. É chato, é inseguro. Imagina uma mãe de família ou uma menina passando por esse local sem nenhuma segurança?”, questiona Claudio Rogério.

Gabriel de Almeida tem 17 anos, e por algumas vezes na semana acaba passando em frente ao prédio. Quando questionado se ele se sente seguro ao passar por aquele trecho, ele conta que não. “Tenho medo. Passo do outro lado da rua, a gente nunca sabe o que pode encontrar por aqui”, explica o adolescente.

DEMOLIÇÃO – A Prefeitura de Poá solicitou à Câmara Municipal uma sessão extraordinária (em caráter emergencial) para discutir um possível convênio com o TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) para demolição do antigo prédio do Fórum, no entanto, ninguém da Câmara soube informar se houve a sessão.

A gestão do prefeito Gian Lopes (PL) foi questionada pela reportagem da GAZETA, para falar sobre o que será feito no local, em termos de segurança e revitalização do espaço, no entanto, sem perder o costume de anos anteriores, a prefeitura não respondeu a nenhuma pergunta até o fechamento desta edição

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*