Bertioga está abandonada, diz povo

Cidade arrecadou quase R$ 106 milhões com IPTU, mas dinheiro não é ‘visto’ nas ruas

Por Will Siqueira / Foto: Diego Bachiéga – Divulgação

Segundo dados da pesquisa “Multicidades – Finanças dos Municípios do Brasil”, realizada anualmente pela FNP (Frente Nacional de Prefeitos), o município de Bertioga está entre os que mais arrecadam dinheiro por meio do IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano). Somente em 2018, a população pagou à Prefeitura de Bertioga aproximadamente R$ 106 milhões, colocando a cidade na posição 55 no ranking das que mais faturaram com esse tipo de imposto.

A pesquisa, referente a 2018, ainda revela que, com base na renda per capita (por pessoa), foi a quinta cidade que mais obteve receita em relação ao IPTU. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), Bertioga possui atualmente 61.736 habitantes – 26,6% da receita do município, isto é, o que ele arrecada com a cobrança desse imposto é proveniente do IPTU.

Devido ao crescimento natural das cidades, o dinheiro arrecadado pelas prefeituras com o IPTU é uma grande e importante geração de receita, pois está ligada a imóveis e os valores cobrados são fixos – variando de acordo com o tamanho da área construída – e anuais.

Entretanto, como diz a expressão popular, a cidade está “largada às traças”. No último dia 19 o LEIA esteve em Bertioga e verificou o abandono da administração municipal referente aos benefícios que deveriam ser oferecidos à população. Sobretudo tendo em vista o plano de governo que foi elaborado pelo então candidato a prefeito Caio Matheus (PSDB), na eleição de 2016, o qual venceu a disputa.

O LEIA perguntou aos moradores o que o prefeito tem feito para melhorar a vida deles em relação às principais promessas de sua campanha, as quais, aliás, são serviços básicos que devem haver em qualquer cidade: saneamento básico, infraestrutura, saúde, mobilidade urbana (transporte), educação e segurança.

Por diversas vezes, durante a última semana, a reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da prefeitura. Porém, não obteve nenhuma resposta acerca das reclamações dos bertioguenses.

SAÚDE

Fachada do Hospital Municipal de Bertioga – Foto: Lailson Nascimento

A situação da saúde no município é uma das piores. É o caso do filho de Denise de Souza. “Meu filho é açougueiro, cortou o dedo, está inflamado e já faz mais de uma semana que está vindo aqui, perde o dia todo, vai embora e o dedo está do mesmo jeito. O atendimento está terrível, não vejo melhoria. Cada dia está pior”, reclamou a caseira, de 44 anos.

Muito revoltado, um rapaz que também estava em frente ao HMB (Hospital Municipal de Bertioga) se dirigiu à reportagem e afirmou que a esposa dele chegou ao hospital sofrendo de pressão alta, tremendo e muito mal. Segundo ele, o atendimento foi péssimo, quem a atendeu sequer se preocupou com ela.

Usuário do HMB – Foto: Lailson Nascimento

“Mal olhou na cara dela, só receitou um remédio e mandou de volta para casa”, esbravejou.

EDUCAÇÃO

Os bertioguenses também relataram que não há creches e escolas suficientes para oferecer uma educação digna e de qualidade para as crianças e jovens do município, sendo que a primeira promessa de Caio Matheus nessa área era justamente “construir creches e escolas municipais para atender o crescimento de demanda escolar nos bairros”.

SANEAMENTO BÁSICO

Caixas de esgoto estouram com facilidade, apontam moradores – Fotos: Lailson Nascimento

Sergio Ferreira de Macedo, comerciante do bairro Cantão do Indaiá, relatou que geralmente nos finais de ano – alta temporada de férias – o abastecimento de água é precário na região.

O comerciante Sergio Macedo

“Sempre chega a faltar água, e quando volta a qualidade é outra; vem uma água amarela, suja, na torneira, em plena temporada, quando a cidade está cheia”, afirmou. Ele ainda disse que devido às chuvas de verão a rede de esgoto se enche e água podre volta para dentro das residências: “As ‘bocas de lobo’ também não aguentam, e a água suja fica nas ruas e vai para o mar”, completou.

SEGURANÇA

Para o balconista Mauro Cesar dos Santos, 55, morador do Jardim Rio da Praia, a segurança é precária. “No meu bairro acontece muito assalto, raramente se vê um carro de polícia passar, temos muitos problemas com pessoas drogadas que fazem roubo de celular. A gente vive uma realidade 100% (ruim), o pessoal que vem de fora vê uma coisa que não existe.”

MOBILIDADE URBANA

Pontos de ônibus estão sempre lotados – Foto: Lailson Nascimento

Todos os pontos lotados, espera de uma hora a uma hora e meia, itinerários que são compostos por apenas duas linhas de ônibus: esse é o nível em que está o serviço de transporte público de Bertioga, cujo plano de governo do prefeito Caio Matheus propunha, entre seus principais itens para a área, “remodelar e aumentar a capilaridade (ampliação) do sistema de transporte urbano, de acordo com a legislação que trata da modalidade urbana, contemplando todos os acessos de acessibilidade e segurança”.

Dona de casa Cleonice Aparecida Lima – Foto: Lailson Nascimento

A dona de casa Cleonice Aparecida Lima, 69, estava em um dos pontos de ônibus e garantiu: “Eu, que moro no (bairro) Ana Paula, fico 1h20 esperando ônibus. E no fim de semana ou feriado piorou; parece que está em greve. É sempre a mesma coisa. Tem nove anos que moro aqui e é do mesmo jeito”.

INFRAESTRUTURA

No bairro Sesc há várias ruas sem asfalto, inclusive a rua onde está localizada a Câmara Municipal.

O zelador Antônio Carlos de Lima – Foto: Lailson Nascimento

O zelador Antônio Carlos de Lima, 54 anos, trabalha há seis anos em um prédio em frente à Câmara e, segundo ele, “é muito complicado, ninguém faz nada aqui; todos os anos dizem que vão asfaltar, e nada.”

Análise sobre Caio Matheus


Eleito com 63% dos votos válidos em 2016, Caio Matheus (PSDB) utilizou o slogan “Projeto Novo, Com a Força do Povo” durante a sua campanha. Praticamente no quarto ano de seu mandato, o tucano é criticado justamente por não se preocupar com o povo, segundo entrevistados.

No curso de seu primeiro mandato como prefeito, Matheus é natural pré-candidato à reeleição, embora a atual avaliação popular diminua a intenção de votos no atual prefeito, conforme revelam enquetes realizadas no município.

Proprietário de empresa do ramo da construção civil, Caio Matheus faz parte de grupos que confundem Poder Público com iniciativa privada, administrando a prefeitura de modo pessoal.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*