Caio Cunha congela aumentos de IPTU em Mogi até 2024

Projeto de lei foi aprovado na Câmara e só permite a atualização inflacionária; prefeito participou da sessão

Por Lailson Nascimento / Foto: CMMC

A Câmara Municipal de Mogi das Cruzes aprovou hoje (13) um projeto de lei que retira a obrigatoriedade de atualização da Planta Genérica para os valores do exercício de 2021. Na prática, o projeto impede o aumento real de até 60% no IPTU até 2024.

À imprensa o prefeito Caio Cunha (PODE) explicou que uma lei municipal criada pela gestão anterior definia que o imposto ficaria congelado somente até a próxima sexta-feira (15). Após esse prazo, o aumento poderia ser de até 60%, conforme o ex-prefeito Marcus Melo (PSDB) defendeu em seu primeiro ano de gestão. “Mogi das Cruzes não terá aumento real de IPTU até 2024, apenas a correção inflacionária”, resumiu Caio Cunha.

“Essa iniciativa, de estabelecer que o reajuste não será maior que a inflação, traz estabilidade e previsibilidade. O munícipe vai saber, de fato, o que ele vai pagar. Isso contribui muito para tranquilizar a cidade”, acrescentou o vereador Iduigues Martins (PT).

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*