Caio Cunha: “Jundiapeba não pode mais viver de promessas”

Consultado pela GAZETA, vereador apontou seus projetos para o Distrito em um eventual mandato como prefeito de Mogi das Cruzes

Por Lailson Nascimento/ Foto: Divulgação

Em anos eleitorais, a população espera encontrar projetos capazes de resolver ou amenizar os problemas que afetam o cotidiano das comunidades. Diante disso, a GAZETA abre uma série de reportagens para tornar público as demandas dos bairros do Alto Tietê (leia mais nas páginas 4 e 5) e, ao mesmo tempo, discutir junto aos pré-candidatos a prefeito as possibilidades de solução para os desafios das comunidades.


O primeiro pré-candidato consultado é o vereador de Mogi das Cruzes Caio Cunha (PV). No curso de seu segundo mandato, o parlamentar trabalha para confirmar sua pré-candidatura pelo Podemos. Convidado a estrear a série de reportagens, Caio Cunha fez comentários a respeito de um dos Distritos mais atrasados do município: Jundiapeba.


No entendimento do pré-candidato, é preciso se considerar que Jundiapeba é um distrito grande e a população é maior do que muitas cidades. “Os problemas precisam ser enfrentados de frente em busca de soluções e não ficar só no discurso e promessas vazias. É preciso reconhecer a sabedoria popular, sem o Poder Público se achar dono da verdade, e garantir que todos sejam ouvidos nos processos de decisão que envolvem o Distrito.”


Dentre os diversos problemas, a falta de saneamento básico, especialmente na Vila Nova Jundiapeba, diminui a qualidade de vida da população local. Por esse motivo, Caio Cunha acredita que é preciso um plano de macrodrenagem para a comunidade. “A solução para isso é a criação de um programa de investimentos em infraestrutura, mas que não se limite somente em ano de eleição”, frisa.


Ruas de terra em pleno 2020 também fazem o pré-candidato a prefeito subir o tom contra os governos que passaram pela cidade até o momento. “A administração atual usa a desculpa de que primeiro é necessário investir na captação de esgoto para depois pavimentar. Isso teria sentido se tivesse um cronograma de obras de saneamento básico e que o mesmo fosse cumprido. Há quantos anos essas pessoas estão sofrendo por pisar no barro e nada é feito. A reurbanização de Jundiapeba não pode ficar no discurso, tem que ser um compromisso.”


A falta de segurança pública também é, na visão dos moradores, um problema sério de Jundiapeba. Diante disso, Caio Cunha diz que é preciso ir além do trabalho da GCM (Guarda Civil Municipal) e “investir em inteligência e tecnologia para ampliar o monitoramento.” “Apresentei um projeto que permite o compartilhamento de câmeras de residências e comércios com a central de imagens”, completa.


Sobre situações corriqueiras, como a falta de limpeza pública e a ausência de opções de lazer, principalmente para as crianças, Caio Cunha é enfático: “A pergunta é: qual o programa habitacional que esta gestão apresentou nesse mandato para esse povo? A criança que está desocupada é um alvo fácil para ser iludida a entrar no mundo do crime. Criar um complexo cultural e esportivo em Jundiapeba é mais que uma necessidade só de lazer, mas sim algo social.”

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*