Desapropriação da Pousada Carolina em debate na Ilha

Casal que teria recebido uma “bolada” da prefeitura, autorizou a Justiça a bloqueá-la

Por Will Siqueira / Foto: Divulgação

A batalha judicial entre os ex-proprietários da Pousada Carolina, em Ilhabela, e a prefeita Maria das Graças Ferreira (PSD), a Gracinha, por causa da desapropriação do terreno e, consequentemente, do imóvel, está longe de terminar. Isso porque o casal Karel Julius Maria Vandestappen e Valdinea do Nascimento Vanderstappen disponibilizou à Justiça quase R$ 4,3 milhões – os quais teriam recebido da Prefeitura de Ilhabela para terem sua propriedade desapropriada – e solicitou que esse dinheiro seja bloqueado em uma conta de investimentos deles.

O imbróglio começou em setembro desse ano, quando a prefeita Gracinha teria desapropriado a Pousada Carolina por R$ 10,2 milhões. Mas, de acordo com um morador da cidade, Renato dos Santos Rodrigues, o valor do local foi calculado em R$ 5,1 milhões, muito abaixo dos R$ 10 milhões. O que fez Rodrigues mover uma ação popular contra os Vandestappen por acreditar que eles agiram de má fé.

“A prefeitura, por ato da senhora prefeita, saldou a dívida com recursos públicos [R$ 3,2 milhões] e indenizou o proprietário em valor acima do valor de mercado do imóvel [R$ 6.970 milhões]”, relata Rodrigues, em sua ação.

Os ex-donos da Pousada Carolina, ao se verem citados na ação, permitiram que a Justiça fizesse o bloqueio de parte da quantia paga pela prefeita na desapropriação do local.

Pelo que consta na ação, “em muito o valor alcançado pela senhora perita contratada pela prefeitura, sendo certo, que quem obteve vantagem com o negócio foi o Poder Público, ao passo que esses réus [o casal] estão sendo lesados com a presente ação, até porque pede a prefeitura, após ter feito um acordo para reduzir o mesmo, o que é absurdo e falta tamanha de respeito com quem não pediu para ser desapropriado.”

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*