EUA mata substituto de Osama Bin Laden na Al-Qaeda

Ambos tinham a causa comum de lutar e matar norte-americanos e seus aliados, independentes de serem civis ou militares  

Da Redação / Foto: Reprodução

O médico Ayman al-Zawahiri, apontado como substituto de Osama bin Laden, e um dos mentores dos ataques de 11 de setembro, foi morto nesta segunda-feira (01) pelas forças norte-americanas durante operação militar no Afeganistão. A confirmação da morte do principal líder da Al-Qaeda, depois de bin Laden, partiu do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden. Ayman Zawahiri passou a comandar o grupo após o assassinato do fundador em 2011.

As autoridades norte-americanas afirmaram que não houve mortes de civis. A morte de Al-Zawahiri representa um golpe significativo na capacidade do grupo de operar. Os EUA acreditam que ele continuava a fornecer direção estratégica à vasta rede terrorista e estava organizando futuros ataques contra o país.

Al-Zawahiri surgiu como militante muçulmano quando estava na prisão por seu envolvimento no assassinato do presidente egípcio Anwar Sadat, em 1981, depois que o líder egípcio fez as pazes com Israel. Ele passou três anos na prisão após o assassinato de Sadat. Após sua libertação, al-Zawahiri foi para o Paquistão, onde cuidou de combatentes feridos que lutaram contra a ocupação soviética do Afeganistão.

Nesse ínterim, conheceu Bin Laden e encontrou uma causa comum. “Estamos trabalhando com o irmão Bin Laden”, disse ele ao anunciar a fusão de seu grupo terrorista, a Jihad Islâmica Egípcia, com a Al Qaeda em maio de 1998. Juntos, eles assinaram um manifesto que dizia: “O julgamento de matar e lutar contra norte-americanos e seus aliados, sejam civis ou militares, é uma obrigação para todo muçulmano”.

O 11 DE SETEMBRO – Os ataques contra os Estados Unidos começaram semanas depois da fusão dos grupos de bin Laden e al-Zawahiri, com os atentados suicidas das embaixadas norte-americanas no Quênia e na Tanzânia, onde morreram mais de 200 pessoas e feriram mais de 5 mil. Na sequência, houve o ataque ao USS Cole no Iêmen, em outubro de 2000. Nesse, homens-bomba em um bote detonaram seu barco, matando 17 marinheiros americanos e ferindo outros 39.

O ponto culminante da conspiração de al-Zawahiri ocorreu em 11 de setembro de 2001, quando cerca de 3.000 pessoas morreram nos ataques às torres gêmeas do World Trade Center e do Pentágono. Um quarto avião sequestrado, com destino a Washington, caiu em um campo da Pensilvânia depois que os passageiros reagiram.

Desde então, al-Zawahiri elevou seu perfil público, com vários vídeos e fitas de áudio para incitar os muçulmanos a se juntarem à jihad contra os Estados Unidos e seus aliados. Em maio de 2003, ataques suicidas quase simultâneos em Riad, na Arábia Saudita, mataram 23 pessoas, dias depois que foi lançada uma fita que supostamente continha a voz de Zawahiri.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*