Ferraz precisa de uma administração municipal mais humana, diz Dr. Rafú

Pré-candidato a prefeito, médico faz avaliação sobre o atual momento da cidade aniversariante

Por Gabriel Dias / Foto: Bruno Arib

O prefeito de Ferraz de Vasconcelos, José Carlos Fernandes Chacon (PRB), o Zé Biruta, tem 76% de reprovação junto à população. A informação é do médico José Raffoul Júnior (PL), o Dr. Rafú. Pré-candidato a prefeito, ele afirma ter acesso a uma pesquisa que também mostra que 83% dos eleitores ferrazenses devem optar por um novo grupo político nas eleições de 2020. Diante de pelo menos outras três novas lideranças que afirmam ter intenção de disputar o pleito no ano que vem, Dr. Rafú enaltece um diferencial de seu grupo que, na visão dele, deve fazer a diferença.

“Eu gosto de pessoas. Estou perto das pessoas. Não faço propagandas. Cuido das pessoas como elas deveriam ser cuidadas sempre, não por mim só, mas como por todos. Como por todos os governantes, como por todos os funcionários, como por todas as pessoas do dia a dia. Esse é o nosso diferencial. Eu gosto de pessoas e sei que Ferraz precisa de mais humanização. A gente precisa estar perto das pessoas para cuidar delas, e isso o nosso grupo tem de sobra”, afirma o médico.

Em entrevista exclusiva concedida à GAZETA, ele fez uma avaliação sobre o atual momento da cidade, que na segunda-feira (14) completa 66 anos de emancipação político-administrativa. “Hoje Ferraz é uma das cidades do Alto Tietê com recorde em obras paradas. A cidade tem quase R$ 20 milhões em obras paradas. A gente sabe que o Zé Biruta assumiu uma cidade totalmente falida. Eu elogio muito a atitude dele de tentar sair dessa situação. Só que chegou um momento que está na hora de investir o dinheiro. Hoje se diz que Ferraz de Vasconcelos tem dinheiro em caixa. Ferraz não é banco, a prefeitura não é um banco.”

Para ele, saúde é uma das prioridades, principalmente levando em consideração a situação que seu grupo tem encontrado nos mutirões de saúde que realiza desde 2015. “Nós fazemos um trabalho social, estritamente social, que não tem nada a ver com política. Quem antes criticava, inclusive, hoje tenta copiar. E por meio desse trabalho é que descobrimos, por exemplo, que a cidade tem uma fila de 13 mil ultrassons atrasados. Adianta guardar dinheiro e ter 13 mil ultrassons atrasados? Adianta guardar dinheiro e viver uma onda de criminalidade no centro da cidade? Ferraz precisa de uma administração mais humana”, arrematou.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*