Gabriel dos Santos, contrariando orientação de Camargo, presidente do PSD, não vota o impeachment do prefeito de Arujá

Em sessão realizada nessa segunda, o presidente da Câmara tentou explicar o porquê se absteve; clima ficou tenso para ele, já que muitas pessoas da cidade, por meio de redes sociais, foram contra a sua atitude

Por Will Siqueira / Foto: Bruno Arib

Na sessão da Câmara Municipal de Arujá dessa segunda-feira (28), o vereador Gabriel dos Santos (PSD) tentou explicar o motivo pelo qual não deu o seu voto na CP (Comissão Processante) que investigava o prefeito José Luiz Monteiro (MDB), o Zé Luiz – e seu vice, Márcio Oliveira (Republicanos) –, por denúncia de omissão e falta de decoro, que poderiam acarretar em impeachment do chefe do Executivo. E Gabriel foi contra a vontade de seu partido, cujo presidente é Luis Camargo.

O PSD havia orientado Gabriel para que ele votasse a favor da cassação do mandato do prefeito de Arujá, e o próprio vereador admite qual era a vontade de seu partido. No entanto, ele jogou a responsabilidade para o plenário por não querer assumir o Executivo, caso Zé Luiz foi cassado – se o atual prefeito e seu vice saíssem da prefeitura, quem a assumiria seria o presidente da Câmara.

A atitude de Gabriel gerou revolta nos moradores de Arujá, pois, na opinião deles, o vereador devia ter seguido a orientação do partido. Tanto é, que Gabriel foi muito cobrado pelos araujenses nas redes sociais.

 “Foi uma decisão muito difícil de ser tomada. Mas é preciso evidenciar que a orientação partidária era outra. Inclusive, foi feito uma chamada do partido, sim”, afirmou o presidente da Câmara ao encerrar a sessão desta noite. 

A reportagem entrou em contato com o vereador, por telefone, e ele confirmou que “houve a orientação partidária, sim.” “Eu espero que o partido compreenda a minha decisão”, disse Gabriel, reconhecendo que foi contra o próprio partido.

NOTA DA REDAÇÃO – O destino do prefeito de Arujá – e de seu vice, Márcio Oliveira (Republicanos) –foi decidido na semana passada, quando houve uma votação a qual resultou no parecer final da CP. O presidente da Câmara, no entanto, não quis votar nem contra nem a favor à cassação de Zé Luiz, e o prefeito e seu vice se mantiveram em seus cargos. O que deixou muita gente revoltada nas redes sociais.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Nenhum comentário sobre: “Gabriel dos Santos, contrariando orientação de Camargo, presidente do PSD, não vota o impeachment do prefeito de Arujá

  1. Cara sem caráter toda vez é assim ,fala como se a responsabilidade fosse dos outros não dele , assumir responsabilidade pelo jeito não é com ele já que sempre coloca peso nós outros

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*