Harada: “Enquanto um fala mal do outro eu construo o meu trabalho”

Em entrevista, pré-candidato a prefeito de Itaquá falou da atualidade e do futuro

Por Lailson Nascimento / Foto: Lailson Nascimento

Com a segurança de quem é secretário municipal de Finanças de Itaquaquecetuba desde 2013, William Harada (PL) é direto: “Não há salvador da pátria. Não foi o Dr. Mamoru [Nakashima], não é ele e não vai ser ele. Salvador é cada gestor que pega a cidade em uma situação e entrega melhor. Como pré-candidato a prefeito estou buscando o melhor caminho para Itaquá, que eu entendo que é o PL. Eu não vou chegar lá na orelhada. Tenho a contribuir com a minha experiência, não com a minha cabeça.”

As expressões vêm em um momento de efervescência política em Itaquaquecetuba por conta das eleições municipais de 2020. Pré-candidato à sucessão de Mamoru Nakashima, Harada participou de uma entrevista transmitida ao vivo pela página da GAZETA no Facebook. O programa pode ser conferido na íntegra na fanpage que o jornal mantém no Facebook.

No bate-papo, o presidente do Diretório Municipal do PL em Itaquá explicou os motivos que levaram seu grupo político a se aproximar do partido. “Quando a gente inicia uma caminhada a gente tem que começar certo, e se nós tivermos êxito a tendência de dar certo é muito grande. No meu entendimento o PL é o partido mais forte da região. Um partido unido, coeso, partido que busca ter uma representatividade no Alto Tietê para assim poder representar os munícipios, a população, e buscar benefícios.”

Mesmo com a representatividade agregadora dos deputados estadual André do Prado (PL) e federal Marcio Alvino (PL), William Harada tem consciência de que as eleições de 2020 serão marcadas pela ‘guerra política’ que já é natural dos pleitos em Itaquá. “Todo município é assim, mas em Itaquá é mais. A política do quanto pior, melhor é flagrante, é absurda. Mas não tenho que ficar falando mal de outros políticos, eu vou olhar pra frente, olhar para as minhas ideias, minhas propostas, e pensar como no primeiro dia de governo eu posso contribuir para a cidade. Esse é o meu propósito.”

Mesmo sendo representante da atual administração, ele entende que seus diferenciais em relação a Mamoru vão ficar evidentes. “Cada gestor tem uma formação, uma ideia. O meu pensamento enquanto gestor, eu tenho que pensar o dia que eu estiver naquela cadeira, qual vai ser o meu comportamento. Aí nós pensamos relativamente diferente e bastante diferente, sem demérito nenhum. Penso que Itaquaquecetuba deve estar mais aberta às aproximações.”

O pré-candidato deu exemplos de aproximações. “Vamos abrir muita frente para sociedades organizadas. Uma Fempi, uma Associação Comercial, uma organização de empresários. São entidades que podem, juntamente com o município, trazer benesses e melhorar as condições das sociedades organizadas e eles contribuírem mais com o município. Existe um distanciamento e isso precisa ser recuperado. Ter uma forma de lidar de uma forma mais aberta, assim como a política também.”

ATUALIDADE – Na entrevista William Harada também falou sobre a dificuldades orçamentárias da cidade. “Na minha concepção não existe milagre. Itaquá tem várias emergências por dia. Por isso temos que ter união, temos que agregar e conduzir Itaquaquecetuba a um momento melhor. De todo território, entre 30% e 40% é invadido e não paga IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano). Dos proprietários com imóveis regulares, 45% está inadimplente. Essa é apenas uma das dificuldades do nosso trabalho”, concluiu o pré-candidato.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*