Hospital de campanha de Suzano segue sem mortes desde o dia 30

Ao contrário: em 16 dias de funcionamento, cinco pacientes saíram curados

Por Will Siqueira / Fotos: Bruno Arib

Desde o dia 30 de abril, a Arena Suzano (ginásio poliesportivo localizado dentro do Parque Max Feffer) foi transformada em mais um hospital de campanha do Alto Tietê no combate ao coronavírus. A GAZETA foi conferir de perto, na quinta-feira (14), toda a estrutura armada para receber os suzanenses que tenham contraído a doença ou que estão sob suspeita. É importante destacar que a equipe do jornal tomou os devidos cuidados antes, durante e depois de fazer a reportagem.

O Hospital de Campanha de Suzano é administrado pelo INTS (Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde), o qual também administra outras unidades de saúde do município, e possui uma equipe com 150 profissionais: médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, farmacêuticos, técnicos de farmácia, assistentes sociais, psicólogos, fisioterapeutas, auxiliares de limpeza, auxiliares de rouparia, funcionários administrativos e controladores de acesso. Tudo funcionando durante 24 horas por dia.

“O hospital foi estruturado em 13 dias, entre construção e abertura. Aqui, nós temos 80 leitos, 10 como semi-intensivo e 70 como enfermaria. Inauguramos com quatro pacientes e hoje estamos com 16 pacientes internados”, explicou Patrícia Cristina Fontalva Prado, coordenadora técnica do hospital de campanha.

De acordo com Patrícia, é esperado para junho um aumento na quantidade de casos de Covid-19 na cidade. O atendimento na Arena Suzano é reservado apenas para as pessoas encaminhadas dos hospitais locais, conforme explicou Patrícia.

“Somente Suzano. O fluxo são os pacientes que passam via Pronto-Socorro, de Suzano, são encaminhados através de um contato médico e um protocolo municipal para o hospital Arena.”

Até o momento não houve nenhuma morte dentro do Hospital de Campanha de Suzano, ao contrário, cinco pacientes se curaram enquanto estavam sendo tratados no local, segundo Patrícia. “Graças a Deus, não tivemos óbitos. Tivemos cinco altas, e já passaram 24 pacientes por aqui”, comentou, aliviada.

Dos atuais 16 pacientes internados, quatro estão com coronavírus e 12 estão aguardando resultados de exames.

“Os casos suspeitos apresentam os critérios clínicos, é realizada uma tomografia, na qual fica interrogada como Covid, esses pacientes são direcionados para cá e o resultado de exame, para detecção e confirmação da doença, sai em cinco ou seis dias”, disse Patrícia.

Os pacientes que ainda não tiveram o resultado de seus exames definidos ficam em setores separados daqueles que estão com o vírus, por segurança, até que a doença seja confirmada ou não.

O objetivo do hospital de campanha é o tratamento de pacientes com sintomas leves e moderados. Se o estado do paciente se agravar, ele é reencaminhado ao Pronto-Socorro para ter vaga na UTI.

“A evolução da doença, desde os primeiros sintomas, acontece em 14 dias”, afirmou a coordenadora. Então, uma pessoa pode permanecer, no mínimo, sete a 14 dias no hospital.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*