Itaquaquecetuba terá Delegacia de Defesa da Mulher neste 2º semestre

A informação foi dada pelo delegado seccional de Mogi das Cruzes, Jair Barbosa Ortiz, em entrevista

Por Lailson Nascimento / Fotos: Bruno Arib

Pouco mais de um ano à frente da Delegacia Seccional da região de Mogi das Cruzes (inclui Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Itaquaquecetuba, Poá, Salesópolis e Suzano), o delegado Jair Barbosa Ortiz já tem um diagnóstico do que será priorizado na sua gestão. Um dos focos é a instalação de DDMs (Delegacias de Defesa da Mulher) por toda a região.

Em recente entrevista à GAZETA, Ortiz revelou que a DDM de Itaquaquecetuba só depende de detalhes para começar a funcionar, o que deve ocorrer ainda neste ano. Ele acrescentou que também vai lançar decretos de formação e de instalação das DDMs de Ferraz e de Poá até o início do ano que vem.

Ortiz também comentou que, em linhas gerais, os ‘ataques à vida humana’ têm sido objeto de um trabalho mais intenso por parte da Polícia Civil do Alto Tietê.

“Nós temos inúmeros tipos criminais que são extremamente graves, que exigem mais do policial. Esses são particularmente os crimes contra a vida. Feminicidio, homicídio, latrocínios, estupros, são os crimes contra a vida e contra a dignidade. Por esse motivo é que os casos envolvendo latrocínio, homicídios, entre outros, tem sido resolvidos pelo setor de homicídios. Estamos com um saldo de investigação bastante considerável”, acrescentou.

Roubos e furtos de veículos, bem como tráfico de entorpecentes, completam a lista de crimes que estão no radar da seccional. Além de criar um setor específico para a investigação de casos relacionados a veículos, a Polícia Civil tem utilizado cada vez mais as ferramentas de segurança pública disponibilizadas pelas prefeituras da região.

“As prefeituras estão envolvendo as cidades no que nós chamamos de cerca eletrônica. Suzano já concretizou esse sonho, Itaquaquecetuba está no mesmo caminho, Poá, então a gente quer que todas as cidades tenham. E posso te garantir que realizamos as maiores prisões e apreensões de entorpecentes seguramente dos últimos anos, entre 2018 e 2019. Todos os dias eu tenho uma prisão em flagrante feita pela Polícia Civil, feita pela Polícia Militar ou feita pelas Guardas Civis Municipais envolvendo entorpecentes. Todos os dias traficantes estão sendo presos na região. Pelo menos uma por dia. Às vezes 3 ou 4 casos por dia.”

PLANOS – Ao ressaltar que a primeira fase do trabalho foi focada em uma reorganização de funcionários de toda a área coberta pela seccional, cuja atividade está em vias de ser concluída, o delegado adiantou os próximos passos.

“Tenho me dedicado pessoalmente em me aproximar da classe política, dos religiosos, que são representantes do povo. Quero ouvir deles os principais problemas que a gente enfrenta, porque não dá para de dentro da sala de trabalho a gente entender o que acontece do lado de fora, numa região com 1,6 milhão de habitantes. Vamos conversar com quem está do lado de fora”, concluiu.

Elucidação de homicídios tem se destacado

Por Gabriel Dias

PRISÃO – Suspeitos de assassinar motorista

A Polícia Civil conseguiu encontrar e prender os criminosos que torturaram e mataram um motorista de aplicativo na última semana, na Estrada Mogi-Salesópolis. O último envolvido no caso foi localizado no Litoral Norte de São Paulo, na cidade de Bertioga.

O motorista Valter Prado, 32 anos, foi morto numa tentativa de roubo, e caiu na estatística de mais um crime de latrocínio praticado na cidade. O delegado do Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), Rubens Ângelo, conseguiu elucidar o caso e localizar os criminosos, levando a crer que o número de 100 homicídios resolvidos pelo SHPP em três anos, pode, até o final deste ano, aumentar consideravelmente.

O corpo de Valter Prado foi encontrado com sinais de tortura provocada por uma máquina de choque “taser” que seria do próprio motorista, segundo explicou o delegado em coletiva de imprensa na última segunda-feira (9).

PREOCUPAÇÃO – Após o caso envolvendo Prado, outros motoristas de aplicativos se dizem preocupados com a própria segurança e a dos clientes.
“Por três vezes percebi que seria roubado e consegui evitar. As vezes o motorista consegue se precaver, existem mecanismos para isso, mas tem outros casos que o profissional não consegue evitar, por isso digo, o motorista precisa ter malicia para trabalhar nesta área”, explica um ex-motorista de aplicativo que não quis se identificar.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*