Juliana Cardoso afirma em emissora de rádio que ‘Jair Bolsonaro é um maluco’

Integrante do Governo Paulista esculacha o chefe do Executivo Federal

Da Redação / Foto: Divulgação

A coordenadora da Secretaria Estadual de Agricultura, Juliana Cardoso, que é filha de José Cardoso, o “Rei do Lixo”, disparou contra o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), o chamando de louco. A frase dirigida ao presidente aconteceu durante entrevista a uma emissora de rádio de Mogi das Cruzes.

Juliana Cardoso atacou Bolsonaro em meio a uma explanação que fazia sobre os trabalhos realizados pela Secretaria de Agricultura em 2020 e, como a Pasta, igual a outros setores, também foi duramente afetada pela pandemia.

A coordenadora insultou o presidente quando foi perguntada pela jornalista sobre o que teria provocado a recente troca de farpas entre o governador João Doria e Bolsonaro acerca do que seria feito com a Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo).

O desentendimento entre os dois chefes de executivo – respectivamente federal e estadual – foi quando Bolsonaro falou que “nenhum rato vai sucatear (o entreposto) pra privatizar para os seus amigos”. Doria devolveu: “Bolsonaro deve estar falando de si mesmo.” Nisso, a coordenadora pendeu para o lado do patrão e “arrebentou” o presidente.

Cardosadas

Juliana é filha do empresário Zé Cardoso, que tem no seu passado uma montanha de sujeira representada pelo Aterro Sanitário de Itaquaquecetuba, que o empresário adquiriu após um misterioso acidente que levou a explosão do Lixão de Itaquá, como era conhecido o local de descarte de detritos.

Igual ao pai, ela não teve sucesso na política. Zé Cardoso, o “Rei do Lixo, conseguiu a proeza de rachar o PSDB de Suzano em 2012, quando saiu prefeito pelo partido, que já tinha Paulo Tokuzumi para disputar o cargo.

Juliana Cardoso lançou candidaturas em 2014 e 2018, buscando vagas de deputada estadual e federal, mas não obteve sucesso, o que tenta quando “defende” Doria indo pra cima de Bolsonaro.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*