Loja do Bem transforma o ‘lixo’ em moeda social e amplia reciclagem em Salesópolis

Mais de 4 mil toneladas de recicláveis já foram trocadas por moedas do programa ambiental

Por Lailson Nascimento / Fotos: Bruno Arib

Cerca de 60% a 70% do lixo recolhido nas áreas urbanas do país é, na verdade, material reciclável. A informação é do secretário municipal de Desenvolvimento, Meio Ambiente, Agronegócios e Regularização Fundiária, Douglas Prado Nepomuceno Batista, que aposta no programa ‘Loja do Bem’ para transformar Salesópolis em um exemplo de proteção ao meio ambiente. Prestes a completar quatro meses, o projeto segue em crescimento, engajando toda a população.

A iniciativa é resultado das ações concretizadas em 2019 durante o programa Recicla Cidades, promovido pela Tetra Pak em parceria com a ONG Espaço Urbano e a administração municipal. Com o objetivo de capacitar e transformar trabalhadores da Ares (Cooperativa dos Recicladores de Salesópolis) em agentes de transformação socioambiental no município, o programa estimulou a integração da cooperativa na cidade e o engajamento dos moradores sobre o importante papel de cada um na cadeia da reciclagem.

A gari Rubenita Gomes dos Santos Fernandes, 56 anos, já entendeu que é possível praticar a reciclagem durante o seu horário de expediente. Com o material que coleta, ela troca as moedas sociais do programa por alimentos disponíveis na Loja do Bem.

“Eu vou juntando a reciclagem e troco pelas moedas. Cada mês tem uma quantidade diferente. Teve uma vez que eu consegui levar 50 quilos. E troco por alimentos, pois ajuda muito em casa. Se todo mundo ajudasse, muita gente não passaria necessidades em Salesópolis”, observou.

A preocupação de Rubenita também já contagiou o aposentado Jair Moraes Franco, 61, que faz questão de participar do projeto.

“Eu separo todos os lixos domésticos do que é reciclável, e vou juntando. Quando chega a uma quantia boa, eu levo na cooperativa e troco por moedas. Estou juntando as moedas para doar para uma pessoa que vai reverter isso em cesta básica para pessoas necessitadas. A gente faz um mínimo, mas todos ajudando, a cidade só tem a ganhar. Além de fazer o bem para o meio ambiente”, enalteceu.

Para que a Loja do Bem dê certo, é necessário que os empreendedores da cidade também participem do projeto. Com as doações de cerca de 40 parceiros, o espaço oferece produtos e serviços variados como artigos domésticos, alimentos não perecíveis e até vales para troca por medicamentos e combustível.
A comerciante Crislaine Silva Zarias dos Santos, 31, disponibiliza os produtos de suas duas lojas para o projeto.

“Tem sido muito legal, porque além de conscientizar as pessoas a fazerem a reciclagem, também há o incentivo da troca. Quanto mais pessoas engajadas, mais ajuda a cooperativa e o meio ambiente. Do jeito que está acontecendo, com a quantidade de comerciantes que estão participando, isso mostra que mais pessoas querem que a gente vire uma referência de reciclagem”, concluiu.

Projeto se destaca pela parceria entre cooperativa, poder público e sociedade

No entendimento do poder público municipal, o programa já se tornou sustentável. Com cerca de 40 empreendedores parceiros que realizam doações para as trocas, por meio da moeda social, a Prefeitura de Salesópolis estima que já beneficia 300 famílias por meio do projeto social.

“A gente faz uma avaliação muito positiva, porque o retorno está sendo além do esperado. A gente vê um ciclo sendo fechado, uma vez que a população se beneficia com os produtos da loja, a cooperativa se beneficia pelo material com mais qualidade e com mais volume, o órgão público ganha porque gasta menos com o envio de lixo para o aterro sanitário, e os empreendedores ganham com marketing positivo e giro na economia local”, observa o secretário Douglas Prado Nepomuceno Batista, acrescentando que o projeto é pioneiro no país.

A presidente do Fundo Social de Solidariedade, Luciana Miranda, também participa ativamente. Com o seu próprio carro, recolhe materiais recicláveis de quem não tem condições de levar até a sede da cooperativa.

“Por meio desse programa socioambiental, o material continua vindo para os cooperados, mas por um caminho diferente. O programa aumenta o volume de recicláveis para a cooperativa expandir o seu trabalho e garantir o sustento das famílias que atuam aqui. Só mudou o roteiro”, ressaltou.

Já o prefeito Vanderlon Gomes (PL) lembrou da parceria que a administração municipal mantém com a Ares (Cooperativa dos Recicladores de Salesópolis).

“Quando nós entramos na prefeitura, a cooperativa coletava, em média, 35 toneladas de materiais recicláveis por mês. Antes do início da pandemia, eles já estavam coletando 110 toneladas de materiais recicláveis. Então, nós conseguimos triplicar esse volume por meio da parceria. Primeiro pela questão do trabalho muito próximo junto à cooperativa, que por sua vez executa um belíssimo trabalho. Segundo pelos investimentos que a prefeitura fez na cooperativa. Por meio de emendas parlamentares nós conseguimos ampliar o galpão da reciclagem e trouxemos equipamentos para a cooperativa. Esteira, empilhadeira, balança, triturador, o que é necessário para atender de melhor maneira a cooperativa. Também construímos uma casa para o caseiro. Além da parceria da população, que tem participado muito das ações voltadas à preservação do meio ambiente”, concluiu.

Loja do Bem Salesópolis

Local: Rua XV de Novembro, 774 – ao lado do Mercado Municipal

Horário de funcionamento: das 9h às 12h e das 13h às 17h

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*