Lucília Goulart quer reestruturar a rede de educação de Bertioga

Candidata a prefeita diz o que pretende fazer para melhorar o ensino público

Da Redação / Foto: Divulgação

A população de Bertioga poderá ter oito candidatos a prefeito nessas eleições. Entre eles, apenas uma mulher: Lucília Goulart (PL). Na cobertura eleitoral, o LEIA vai oferecer espaço para todos os prefeituráveis que aceitarem comentar sobre os principais temas de interesse público. Nessa edição, o jornal traz à tona um pouco do olhar de Lucília sobre a educação, como um todo, e como o processo educacional, se bem planejado e evidentemente aplicado, pode transformar destinos e dar a bagagem que a criança e o adolescente necessitam para a sua evolução profissional e pessoal.

Confira os principais trechos da entrevista:

LEIA: Para você, como seria uma escola ideal onde as crianças e jovens pudessem efetivamente aprender e evoluir?

Lucília Goulart: Eu entendo que a escola deve ser um espaço de cidadania onde, além do aprendizado, a gente possa proporcionar o esporte, a música, a cultura, atividades de lazer, conscientização e orientação sobre vários aspectos aos nossos alunos. Minha concepção é de uma escola mais ampla, com a participação ativa dos pais, para podermos construir uma educação de qualidade.

LEIA: O que teria de existir de recursos para esta escola?

Lucília: Em primeiro lugar, a valorização dos profissionais é fundamental. Eles precisam ser ouvidos, contar com materiais, equipamentos, espaços adequados, cursos de aperfeiçoamento e qualificação constantes. Se a educação é o pilar de uma sociedade, não podemos esquecer que o professor é o pilar da Educação. E precisamos, também, valorizar os estudantes oferecendo o melhor em qualidade com materiais apropriados, iniciando o processo de inclusão digital através de um processo conjunto para contar com a alta tecnologia para a formação das novas gerações. Ao mesmo tempo é preciso cuidar do essencial como merenda de qualidade, uniformes e materiais escolares entregues pontualmente, pois por incrível que pareça, ainda é uma reivindicação dos pais.

LEIA: Quais são as suas referências desta educação modelo?

Lucília: Quando falo na qualidade e cuidado com as crianças, também me lembro de projetos de grande sucesso implantados em outras épocas aqui no município, como por exemplo, as enfermeiras nas escolas, o atendimento oftalmológico e as ações de prevenção bucal. Temos como meta resgatar essas iniciativas, levando a saúde para dentro das escolas. Ao pensar na educação de qualidade, me refiro também à oportunidade de jovens e adultos continuarem seus estudos, o que poderá ajudar muito na inserção ao mercado de trabalho. Por isso, acredito na ampliação de investimentos em cursos profissionalizantes e também no EJA, núcleos de Educação de Jovens e Adultos.

LEIA: O atual número de escolas e creches é suficiente?

Lucília: Não. Necessário mais investimento e mais escolas e creches para o município, além de projetos para a família toda. Bertioga precisa, também, de mais berçários, reformas das unidades existentes e construção de novos espaços para atender a demanda reprimida.

LEIA: Como atrair pais e estudantes da rede de educação?

Lucília: Isso é importantíssimo. Como? Abrindo as escolas nos finais de semana com atividades para todos e também criar Centros de Convivência nos bairros em parceria com a Assistência Social. Esses espaços contarão com a infraestrutura necessária para que os estudantes possam realizar atividades no contraturno escolar. Vamos, assim, ampliar seus conhecimentos, oferecer local seguro e com muitas atividades para que possam aprender e se desenvolver, o que será importante para o seu futuro.

LEIA: Como você define a educação?

Lucília: Falar em educação é falar do ser humano. É mais do que alfabetizar e ensinar, levar conhecimento. É doar energia, tempo amor e dedicação à vida de quem está aprendendo e evoluindo. Todos sabemos que o futuro está na Educação, mas, sem apoio necessário, dificilmente vamos ver brilhar a luz que nasce em cada aluno. Por isso, oferecer educação de qualidade, aliada à boa infraestrutura, valorização profissional e o pensamento no futuro saudável das crianças e jovens, está entre nossas prioridades.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*