Mogi: Mais uma eleição marcada pela arrogância

Ao fazer balanço sobre as eleições municipais deste ano, Gazeta Regional aponta sua visão. Fotos: Divulgação

 

Por Lailson Nascimento

De Mogi

 

Nem mesmo a vitória de seu indicado à sucessão municipal impediu o atual prefeito de Mogi das Cruzes, Marco Aurélio Bertaiolli (PSD), de aceitar as críticas que recebeu durante as eleições municipais desse ano. Se, durante a campanha, o mandatário mogiano tenha feito questão de enfatizar a importância da continuidade de seu governo, nos bastidores, ele já se articulava para questionar juridicamente quem se declarava contrário ao seu projeto político.

Bastou o término do pleito municipal para Bertaiolli iniciar suas investidas contra aqueles que discordam do seu governo. Dois dias após as eleições, o prefeito foi à Rádio Metropolitana para, entre outras coisas, anunciar que irá processar o concorrente direto de seu apoiado nas eleições. No mesmo dia, convocou coletiva de imprensa com jornais do município (o Gazeta Regional não foi convidado) para garantir a repercussão do assunto na mídia impressa.

Embora tenha sido vitorioso no primeiro turno das eleições, Bertaiolli demonstra querer disputar um segundo turno, este na Justiça. Ao abrir o embate com o deputado Luiz Carlos Gondim (SD), o Dr. Gondim, o atual mandatário também demonstra que só é competente quem concorda com a sua visão política, haja vista a própria declaração feita durante coletiva de imprensa: “Campanha eleitoral não é vale tudo. Exige disciplina, trabalho e competência. Atributos que o nosso candidato (Marcus Melo) teve”, declarou.

Declarando que Dr. Gondim teria adotado postura “mentirosa” e “desrespeitosa” durante a campanha, o gestor está decidido a rebater na Justiça as críticas apontadas pelo deputado em relação ao seu governo. Entendendo tais críticas como “ataques direcionados a ele”, o atual prefeito considera inadmissível ter sua gestão relacionada no Escândalo da Merenda, além de não aceitar o fato do deputado divulgar que obras realizadas no município seriam de sua autoria.

 

Críticas, nunca!

Nos últimos anos, Marco Aurélio Bertaiolli (PSD) se tornou uma das principais lideranças políticas do Alto Tietê. Mas, se por um lado o atual prefeito de Mogi das Cruzes é sinônimo de gestão eficiente, há quem diga que o poder lhe fez se tornar alguém que não costuma aceitar críticas.

Beneficiando-se dos bons resultados que alcançou à frente da Prefeitura de Mogi das Cruzes, ele consolidou junto ao eleitorado a personificação política de sua figura. E foi justamente a personificação que ganhou evidência nessas eleições, quando o prefeito fez questão de afirmar que Marcus Melo (PSDB) seria a melhor opção para o eleitorado mogiano, por conta da continuidade do seu trabalho.

O próprio jornal Mogi News, estabelecido na cidade há 40 anos, se atentou para a influência de Bertaiolli nessas eleições. Ao encomendar pesquisa eleitoral, o veiculou entendeu que, mais do que medir a intenção de votos, era preciso coletar dados sobre os fatores positivos do atual governo para, então, questionar se a continuidade desse trabalho era a melhor opção para o município.

No referido estudo, os entrevistados responderam questionamentos quanto à qualidade de vida atual, se a pessoa pretendia votar pela continuidade da atual administração, além de atribuir nota à gestão de Bertaiolli. Por fim, o entrevistado respondia até que ponto o apoio do atual gestor influenciaria na escolha de um candidato. Como resultado, a pesquisa apontou que 49% dos eleitores votariam no candidato do prefeito (pesquisa estimulada), que também teve 77% de aprovação no mesmo estudo.

 

Formadores de opinião criticam postura autoritária de políticos

Mogi_Análise Eleições_Retranca Formadores de Opinião - foto @reprodução facebookNa mesma semana em que o prefeito de Mogi das Cruzes, Marco Bertaiolli (PSD), escolheu a Rádio Metropolitana para anunciar o embate com o deputado Luiz Carlos Gondim (SD), o vereador e presidente da Câmara Municipal, Mauro Araújo (PMDB), participou de um balanço sobre as eleições na emissora. Ao lado dos advogados Dirceu do Valle e Marcelo Inocêncio e dos empresários André Loducca e Leonel Zeferino, o pemedebista debateu o futuro da cidade no programa “Radar em Debate”. Entre outras coisas, os participantes ponderaram sobre a importância do prefeito eleito, Marcus Melo (PSDB), romper o perfil “imperialista” que tomou posse da administração municipal nos últimos 16 anos.

Sob o comando da jornalista Marilei Schiavi, o “Radar Noticioso” é um dos principais canais de formação de opinião do Alto Tietê. Mas a alta audiência do programa jornalístico não intimidou os participantes de expor sua opinião quanto ao futuro político da cidade.

Mauro Araújo, por exemplo, declarou que não deixará de discordar do novo prefeito quando perceber que o seu projeto for diferente do futuro chefe do Executivo. “Até porque o projeto não é só dele. Se ele quer um projeto plural, uma coisa maior, ele vai ter que ceder, ouvir as outras forças políticas da cidade”.

Para o presidente da Câmara, “o grande problema em Mogi, nos últimos 16 anos, é que sempre tivemos uma única pessoa para decidir tudo”. E emenda: “Uma pessoa é o imperador da cidade, que diz ‘é assim que eu quero, se não for assim não gosto, eu brigo, se a bola não for minha ninguém joga’. Ninguém suporta mais isso. Isso tem feito mal para o mundo político da cidade”

Ainda na opinião do pemedebista, a postura totalitária dos últimos governantes impediu uma discussão mais aprofundada nessas eleições. “O que nós discutimos nessa eleição? Nada. Nenhum problema da cidade foi discutido. Nós discutimos se o atual prefeito era bonito e se o deputado Gondim era muito velho. Ninguém falou de mobilidade urbana, educação, ninguém falou de nada. Nós perdemos 45 dias cantando musiquinha e ninguém fez nada”.

 

Outras lideranças

O empresário André Loducca avaliou a soberba dos últimos governos mogianos. Para ele, o atual projeto de poder tem feito bem para a cidade, mas é preciso se avaliar o quanto foi bom. “Até porque nós não conhecemos o outro lado. Eu senti na prefeitura certa soberba de quem estava lá, inclusive pelo incômodo que a campanha do Gondim gerou nessas eleições”.

Já o advogado Dirceu do Valle acredita num novo cenário com Marcus Melo. “Ele não vai dar pitizinho quando for contrariado, não vai dar showzinho, não vai rodar a baiana. Ele deu mostras de que é equilibrado e que tem noção de que ninguém é dono da verdade. A coisa mais detestável que existe é um gestor que se diz dono da verdade, como se a virtude só está do lado dele, como se a inteligência só estivesse ao lado dele. Isso é péssimo”, concluiu.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Nenhum comentário sobre: “Mogi: Mais uma eleição marcada pela arrogância

  1. É saudável para o povo, que se pergunte se o valor pago pelo “foi bom para Mogi”, foi um valor absolutamente ético. Foi feito o que se precisava? Nos locais adequados? No tamanho certo? Com o preço justo? Uma investigação rigoroso e imparcial pode ser feita sem temores?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*