Moradores de Jundiapeba, em Mogi, exigem ações de infraestrutura e zeladoria por todo distrito

O tempo passa, a população aumenta e, com ela, a necessidade de mais serviços no bairro

Por Aristides Barros / Foto: Bruno Arib

Jundiapeba já foi a principal porta de entrada de Mogi das Cruzes para quem vinha ao município por São Paulo na antiga Estrada São Paulo-Rio – hoje, SP-66. As construções das rodovias Ayrton Senna da Silva e Mogi-Dutra abriram novos acessos e passaram por cima do status da localidade que, embora sem o glamour de outrora, continua sendo o principal acesso a Mogi para algumas cidades da região e bairros da Zona Leste.

A agente de organização escolar Sueli Aparecida de Freitas, 57, vive no bairro há 20 anos.

“Cheguei com a minha família aqui em 2004 e nos estabilizamos. Antes era pequeno, mas cresceu muito o número de moradores, e os governantes não acompanharam essa realidade. Uma parte do bairro não tem sequer rede de esgoto e ruas asfaltadas, outros ainda têm ruas com paralelepípedo; não fazem [a prefeitura] serviço de limpeza nas ruas e nem cortam os matos que tomam parte delas”, lamenta.

Para ela, a prefeitura deve levar agentes à localidade para ver a situação do bairro. “Segurança é a nossa prioridade. Quando se fala de Jundiapeba, as pessoas têm medo, o bairro é perigoso. Mas temos aqui um povo que luta, que é trabalhador e esforçado”, reanima.

Já o motorista Luiz Siqueira afirma que Jundiapeba enfrenta problema de abastecimento de água. “Muitas casas ficam sem água e a gente acha que é devido à ‘baixa pressão’. O Semae tem de ver porquê isso está acontecendo e resolver o problema”, fala. “O certo seria uma equipe da prefeitura vir aqui ver o tanto de problemas que temos e solucioná-los.”

Resposta da Prefeitura

Indagada sobre as reclamações dos moradores de Jundiapeba, a administração municipal respondeu que “a prefeitura está ciente da situação e informa que ações de zeladoria serão realizadas em breve no distrito”.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*